Agência Europeia do Medicamento: Porto em sétimo lugar à frente de cidades como Bruxelas e Lille

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O Conselho de Ministros da União Europeia decidiu hoje a relocalização da sede da Agência Europeia do Medicamento de Londres para a cidade de Amesterdão.

O Porto, cidade portuguesa candidata a acolher a EMA, felicita Amesterdão pela vitória e faz um balanço muito positivo da candidatura nacional, tendo-se posicionado em sétimo lugar, entre as 19 candidaturas apresentadas pelos 27 estados-membros.

“Queríamos ganhar e entramos nesta corrida para ganhar. Mas sempre percebemos que a batalha era muito difícil. Apesar de geograficamente periférico, o país mostrou que tinha capacidade e que cumpria todos os critérios e que o Porto podia receber uma agência desta natureza e dimensão”, refere o Presidente da Câmara Municipal, Rui Moreira.

O processo de candidatura liderado pela Comissão Europeia evidenciou a preparação e robustez da candidatura portuguesa, tendo o Porto cumprido todos os requisitos e critérios técnicos para acolher a agência europeia, o que lhe valeu um lugar à frente de cidades que, à partida, se apresentavam como favoritas.
Amesterdão, Milão e Copenhaga passaram a uma segunda volta para decidir qual a cidade escolhida.

“O facto de o Porto se ter posicionado entre as cidades favoritas para acolher uma das maiores agências europeias, fez com que a cidade atingisse níveis de notoriedade, prestígio e reconhecimento nunca antes alcançados.

Agora estamos ainda mais mira dos investidores internacionais; para além de sermos um polo turístico de grande importância, hoje somos uma cidade para investir e para viver como há poucas na Europa”, conclui Rui Moreira.

A mobilização nacional pela candidatura à EMA marcou um ciclo sem precedente, em que o Governo, o corpo diplomático, o setor da saúde e do turismo, a Câmara Municipal do Porto e a sociedade civil se uniram em torno de uma candidatura que afirmou o Porto como uma cidade ímpar no contexto europeu.

Rui Moreira sublinha ainda “a convergência entre todas as forças políticas da cidade e a articulação com o Governo que foi incansável na promoção da candidatura de Portugal. Creio que tudo foi feito para ganharmos e que o país saiu valorizado deste processo”.

Qual a sua opinião?