Agente da PSP que espetou garfo na amante expulso da polícia

O agente da PSP que foi condenado pelo Tribunal de Portimão a nove anos e dez meses de prisão por agredir a amante com um garfo foi expulso desta força de segurança, revela o Correio da Manhã.

O despacho do Ministério da Administração Interna foi publicado esta quarta-feira em Diário da República.

O agente Bruno Filipe de Sousa Alves foi condenado pelos crimes de homicídio tentado, violência doméstica e ofensas à integridade física.

O polícia foi ainda obrigado a pagar à ex-companheira uma indemnização de 10 mil euros. Em tribunal, o agente assumiu as agressões mas negou sempre a intenção de matar Flávia Maciel, a quem pediu desculpa durante o julgamento.

Bruno Alves está atualmente a cumprir a pena de prisão que lhe foi aplicada no Estabelecimento Prisional de Évora.
Em simultâneo ao processo judicial estava em curso um processo disciplinar aberto pela Direção Nacional da PSP.

Segundo o aviso publicado em Diário da República, o despacho para aplicar a pena disciplinar de demissão foi assinado pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, em março.

A expulsão foi decidida pela diretora do Gabinete de Deontologia e Disciplina, Fernanda Portinha.

Toda a história no Correio da Manhã.

Publicado originalmente em: Correio da Manhã

Outros conteúdos na web

Comente, qual a sua opinião?
A carregar...

Recomendados

Recomendados