Amigos do triatleta Luís Grilo confirmam maus-tratos à viúva Rosa

Quando Rosa Grilo foi detida pela Polícia Judiciária alegou ter sofrido maus tratos às mãos no triatleta, Luís Grilo.

Mas antes dessas declarações, os amigos do triatleta já relatavam os episódios de violência.

A 13 de setembro, ainda antes de a viúva ter sido presa, a mulher do treinador de Luís Grilo foi ouvida pelas autoridades e recordou uma conversa tida com o atleta.

Segundo a mulher, o triatleta confessou que a relação com Rosa era truculenta e que, por vezes, lhe batia, conta o Correio da Manhã.

Luís Grilo terá ainda contado que muitas vezes atirava objetos contra a parede para não a agredir, já que se tornava com frequência bastante violento.

A testemunha afirma que Luís não se apercebeu da gravidade do que lhe contou e que disse com naturalidade, e que a descrição se encaixava na Rosa que conhecia.

A mulher do treinador do atleta assegura que conheceu uma Rosa submissa que aceitava o machismo do marido.

Luís também não escondia a tensão no seu casamento e queixou-se mesmo à mulher do treinador de que Rosa não o tinha apoiado numa prova em Frankfurt.

Rosa escreve cartas a relatar violência

Recorde-se que Rosa Grilo, escreveu escreveu novas cartas a partir da prisão, dirigidas à jornalista Ana Paula Felix, da SIC.

Os documentos foram revelados no programa Linha Aberta, conduzido por Hernâni Carvalho.

A viúva revela alguns pormenores da sua vida com o triatleta, e ainda faz algumas confissões.

Rosa Grilo nega ter assassinado Luis Grilo e afirma que a morte do marido não lhe trazia vantagem, uma vez que não dependia dele financeiramente, mas sim da empresa.

“O único seguro que seria útil era o da casa, de 50 mil euros e era para os dois”. “Não vejo qualquer vantagem na morte do Luís por causa dos seguros”.

Na carta revelada, Rosa Grilo descreve o marido como uma pessoa violenta.

“Ao contrário do que pensam, o Luís estava longe de ser um santo. Em casa tinha um comportamento diferente. Além dos problemas com droga era violento. Quando se exaltava era muito violento. Era muito possessivo comigo e com o Renato”.

A viúva revela ainda que foi vítima de violência doméstica: “O Luís agrediu-me várias vezes, a primeira vez à frente de um amigo e uma prima. Uma vez espancou-me enquanto dormia, com murros. Voltei porque me prometeu que nunca mais ia acontecer, já que supostamente nos amávamos”.

Em relação ao filho do casal, a suspeita do homicídio do triatleta garante que Renato sofreu nas mãos do pai. “Ele começou a bater no menino. O Luis agrediu-me à frente do menino. O Renato até me perguntou ‘porque deixas que o pai te trate assim?’”, conta.

Em relação ao inicio da relação, Rosa Grilo conta que Luis Grilo teve um passado ligado às drogas e que foi ele que a levou a consumir.

“O Luis teve problemas com a droga, a irmã ajudou-a. Começou a consumir heroína e eu juntei-me a ele”.

“Ajudei-o a recuperar e ele decidiu mudar o modo de vida. Começou a treinar e entrou no triatlo”.

“Quando eu consumia, os meus pais deram-me muito dinheiro, mas também retirei algum. Olhando para trás, não sei como deixei acontecer determinadas situações”

Em relação aos casos de infidelidade, Rosa Grilo justifica a sua relação com o amante, com o facto do marido também a trair.

“Existiram várias mulheres com quem Luís teve relações amorosas. Os amigos sabiam e também eles têm relações fora do casamento”.

“Nunca pensei em separar-me do Luis. Tenho pena que a minha condenação em praça pública tenha a ver com adultério e não se investigue o que realmente aconteceu ao Luís”.

Outros conteúdos na web

Comente, qual a sua opinião?
A carregar...

Recomendados

Recomendados