Categories: Portugal
| Em
08/11/2019 15:07

André Ventura acusa esquerda de “cobardia política” e de querer “silenciar os eleitores”

O Chega de André Ventura acusa os partidos de esquerda de querer “silenciar os eleitores” ao não atribuir tempo aos partidos com um único deputado de intervir nos debates quinzenais com o primeiro-ministro.

Ao contrário do que aconteceu com o PAN, o PS, o Bloco de Esquerda e PCP não concordam em atribuir de novo o regime de exceção e votou a favor de seguir o regulamento que só contempla tempos de intervenção para grupos parlamentares.

PSD, CDS-PP e PAN defenderam que devia ser adotada a exceção que foi atribuída, na legislatura anterior a André Silva.

Para André Ventura trata-se de uma “das maiores cobardias políticas que vivemos no nosso regime democrático”.

“É vergonha. Mostra que a esquerda se prepara para silenciar os três partidos. Mostra que não estavam habituados a verdadeira oposição e por isso querem silenciar os eleitores. Uma incoerência do Partido Socialista que atribuiu ao PAN, que sabia que era inofensivo do ponto de vista político um determinado estatuto e não atribuir ao Chega, ao Iniciativa Liberal ou ao Livre, é um cobardia política , uma das maiores que vivemos no nosso regime democrático”, disse à Antena 1.

“É bom que a Conferencia de Lideres pense antes de tomar uma decisão, porque vai passar a imagem de um parlamento extraordinariamente anti-democrático”.

O partido de André Ventura vai queixar-se ao presidente da Assembleia da República e ao Presidente da República.

Redação

O Informa+ é uma publicação periódica online portuguesa que se dedica à divulgação e partilha na internet de notícias, informações importantes e ainda ferramentas úteis para o seu dia-a-dia.

Mais informação sobre: André VenturaChega!Parlamento