Bispo do Funchal mantêm em funções padre que foi pai em agosto

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O bispo de Funchal, Madeira, mantém em funções o padre Giselo Andrade que, em agosto, assumiu a paternidade de uma bebé.

As nomeações pastorais publicadas na página da Diocese do Funchal eram aguardadas com expectativa pelo clero e pela população que pretendia saber como é que o bispo António Carrilho ia “tratar” do caso de Giselo Andrade, diretor do Secretariado de Comunicação da diocese.

O jovem padre, que estudou Teologia da Comunicação na Universidade Gregoriana em Roma, é um dos mais influentes sacerdotes no Funchal. Em agosto, nasceu uma menina, filha de uma colega de faculdade do sacerdote e Giselo Andrade assumiu a paternidade da criança.

“Não estou admirado por um padre ter um filho nem por ele assumir a paternidade, estou admirado é por um sacerdote fazer tudo isto e não haver consequências”, disse ao JN um sacerdote da Madeira.

O bispo António Carrilho não tece nenhum comentário público ao caso. No documento em que anuncia as nomeações eclesiásticas também não faz nenhuma referência ao caso, confirmando o sacerdote como pároco do Monte.

Este artigo foi publicado originalmente no Jornal de Notícias

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?