Câmara, FAP e instituições de ensino criam plataforma online para estudantes em mobilidade no Porto

Detectámos que tem um Ad Block ativo

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o Ad Block (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

A Câmara do Porto assinou hoje com a Federação Académica do Porto (FAP) e várias instituições de ensino da cidade um protocolo que irá permitir lançar uma plataforma de informação online para estudantes que escolham o Porto para estudar.

Denominada “Study in Porto”, a estrutura, que se encontra em desenvolvimento, deverá estar pronta no próximo ano letivo e irá disponibilizar informações variadas, desde ofertas de ensino e investigação, alojamento, ofertas culturais e artísticas, espaços de lazer e desporto, mobilidade na cidade, entre outras valências.

Na cerimónia de assinatura do protocolo, a vereadora responsável pelos pelouros da Juventude e Desporto da Câmara do Porto, Catarina Araújo, explicou que o projeto tem na sua génese “uma estratégia de cooperação que começou com a FAP e que, depois, foi alargada e enriquecida com o envolvimento de outras 13 instituições”.

São elas a Universidade do Porto, Instituto Politécnico do Porto, Universidade Católica Portuguesa, Universidade Fernando Pessoa, Universidade Lusíada, Escola Superior de Enfermagem do Porto, Universidade Portucalense, Universidade Lusófona, Erasmus Student Network, UNniplaces – Plataforma online de alojamento para estudantes universitários, Inspire Future – Associação Juvenil direcionada para o ensino e a Comissão Fullbright.

“Tem este Município estado empenhado em promover a cidade como um destino de excelência e nesse destino tem de estar o destino para os estudantes, para trabalhar e para viver, para aqueles que estão internacionalmente deslocados, mas também para aqueles que vêm, a nível nacional, para o Porto viver”, disse a vereadora.

A plataforma deverá, também, apoiar a realização de atividades e programas conjuntos, com vista à promoção do Porto enquanto destino de excelência na área do conhecimento e da inovação.

“Pensamos que esta estratégia de captação de estudantes e de investigadores se insere num propósito maior, que tem a ver com a captação e fixação de talento na cidade”, explicou Catarina Araújo.

Também para o presidente da FAP, a “Study in Porto” vem reforçar o pressuposto de “uma cidade que reconhece a importância da Academia no seio do seu desenvolvimento”.

No seu discurso, João Pedro Videira assinalou a vertente “inovadora” da plataforma que congrega variadas informações e ajuda a “construir o Porto como uma cidade de futuro e que quer, naturalmente, atrair públicos cada vez mais jovens e dinâmicos”.

Uma Queima das Fitas ambientalmente mais sustentável

Na cerimónia desta tarde, foi igualmente assinado o protocolo entre a Câmara do Porto e a FAP que irá permitir a continuidade da realização da Queima das Fitas no espaço do Queimódromo (Parque da Cidade) até 2021.

O Município compromete-se a contribuir para a qualificação da Semana Académica, colaborando com a FAP na melhoria das condições logísticas, ambientais, de segurança e de acessibilidades do evento.

Catarina Araújo considerou a iniciativa como “uma festa da cidade” e revelou que a Câmara, em parceria com a FAP, pretende implementar “as mais inovadoras soluções ambientais” no recinto do Queimódromo. Este desígnio foi também salientado pelo presidente da FAP, que mencionou, aliás, a sustentabilidade ambiental como uma prioridade do seu mandato.

A Federação Académica do Porto, enquanto instituição congregadora da Associação de Estudantes de todos os subsistemas de ensino na cidade, representa cerca de 60.000 estudantes.

Recomendações

Recomendações

Comente, dê a sua opinião!