Centro de competências da Fujitsu em Braga emprega mais de 200 pessoas

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O centro de competências da Fujitsu em Braga, inaugurado há um ano, emprega atualmente mais de 200 pessoas, dando suporte a 350 mil utilizadores de empresas de mais de 150 países, disse à Lusa o diretor-geral da Fujitsu Portugal.

“Inaugurado em maio de 2016, o centro de competências de Braga presta atualmente suporte para todo o mundo em diversos idiomas, aplicando as melhores práticas para superar os níveis de serviço dos nossos clientes, através de uma equipa de mais de 200 colaboradores altamente motivada e polivalente”, afirmou Carlos Barros.

“Atualmente, o centro de competências da Fujitsu em Portugal é responsável pelo suporte a 350 mil utilizadores de empresas dos mais variados setores de atividade, localizados em mais de 150 países”, acrescentou.

A comemorar 40 anos de atividade em Portugal, a Fujitsu, que é o maior empregador japonês no país, com mais de 1.400 trabalhadores, faz “um balanço muito positivo” da sua presença no mercado português, segundo o diretor-geral.

“Na última década, a Fujitsu Portugal foi responsável pelo desenvolvimento local de soluções inovadoras para a área do retalho, para a banca e para a administração pública, por exemplo”, prosseguiu.

“Fomos capazes de criar trabalho qualificado e atrair para o nosso país investimento estrangeiro muito significativo, nomeadamente com a abertura do centro de competências em Lisboa (que recentemente se expandiu para Braga) e onde trabalham já mais de 1.200 pessoas”, salientou Carlos Barros.

No último ano, a subsidiária portuguesa contratou “mais de 300 pessoas”.

Sobre a atividade no ano fiscal que terminou em março de 2017, o responsável adiantou que a faturação cresceu 14%, mas não adiantou montantes.

O grupo japonês realiza hoje o Fujitsu World Tour em Lisboa, um ‘roadshow’ que viaja por 22 países em cinco continentes entre março e outubro, num total de 25 eventos, tendo o arranque tido lugar em 09 de março na Califórnia.

“O tema este ano é a co-criação digital, procurando a Fujitsu destacar o modo como trabalha em conjunto com os clientes para ligar os pontos digitais e suportar o crescimento do negócio”, explicou Carlos Barros, considerando ser esta “uma excelente oportunidade” para ver na capital portuguesa “casos de sucesso de transformação digital nos mais variados setores de atividade”.

Com o Fujitsu World Tour “pretendemos chegar às empresas portuguesas que já estão conscientes de que este momento de transformação digital nas suas organizações pode ser um verdadeiro catalisador para o aumento da competitividade do seu negócio”, apontou.

Sobre as empresas portuguesas, Carlos Barros sublinhou que atualmente estas “destacam-se pela associação que desenvolveram junto de empresas como a Fujitsu, demonstrando como a inovação e a tecnologia podem contribuir decisivamente para o aumento de competitividade e produtividade independentemente do setor de atividade”.

Qual a sua opinião?