Chumbou no exame de condução? É sinal de inteligência

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

As pessoas que possuem uma licenciatura ou uma pós graduação são mais propensas a chumbar no exame de condução do que as que têm um nível de escolaridade mais baixo, de acordo com um novo estudo da seguradora inglesa Privilege DriveXpert, avança o jornal The Independent.

No estudo foram inquiridas 1564 pessoas que possuem carta de condução e descobriu-se que entre aquelas que têm baixas habilitações literárias, 59% passaram à primeira no teste prático, e das que têm o 12.º ano, já só 51% delas passaram à primeira.

Foi ainda possível concluir que apenas 48% dos licenciados conseguiu ser aprovado à primeira e que os pós-graduados tiveram uma taxa de aprovação ainda menor, situando-se nos 47%. A própria área de estudos pode influenciar o resultado dos exames: os especializados em artes (com pelo menos o 12.º ano) foram aprovados com uma média de 1,9 tentativas; mas quem estudou matemática ou ciências passou após 2,3 tentativas, em média.

Menos de quatro em cada dez (39%) empresários conseguiram passar à primeira. As pessoas de negócios são três vezes mais propensas a chumbar quatro ou mais vezes (22%) do que aqueles que estão num nível hierárquico abaixo (7%).

Segundo a Privilege DriveXpert, “chumbar pela primeira vez num exame de condução pode ser um grande revés para um novo condutor. Mas o nosso estudo revelou uma ligação entre as qualificações e o cargo profissional que uma pessoa ocupa e o número de vezes que precisou para ser aprovado no exame prático. Aqueles que têm as mais baixas qualificações estão mais propensos a passar à primeira.”

“Aqueles que não têm habilitações académicas formais podem desempenhar papéis que dependem mais de habilidades processuais, como a coordenação motora ou olho-mão, portanto, podem estar mais adaptados a passar num exame de condução”, explica o professor de psicologia na Universidade de Montfort Lee Hadlington.

“Passar no exame de condução à primeira não é determinante uma vez que todas as habilitações que precisamos para sermos bons condutores são adquiridas ao longo dos anos, à medida que a nossa experiência na estrada evolui”, acrescenta Charlotte Fielding, responsável pelo estudo.

Este artigo foi publicado originalmente no Dinheiro Vivo

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?