Chuva, trovoada, vento e agitação marítima a partir desta quarta-feira

Detectámos que tem um Ad Block ativo

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o Ad Block (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

A chuva forte, com probabilidade de ocorrência de trovoadas, o vento e a agitação marítima regressam a partir desta quarta-feira ao território do continente, sendo sexta-feira o dia mais gravoso, segundo a meteorologista Maria João Frada.

De acordo com a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), esta quarta-feira ainda “vai ser um dia pacífico, com temperaturas mínimas da ordem dos 0 a 02 graus nas regiões do interior Norte e Centro associados a uma massa de ar polar e aguaceiros fracos e pouco frequentes”.

“A partir da tarde, o céu vai tornar-se muito nublado, inicialmente nas regiões do litoral sul e depois estendendo-se a todo o território. A partir do meio da tarde, vamos ter períodos de chuva fraca e chuvisco na região Norte. A chuva virá de sul para norte e haverá queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela”, referiu.

Na quinta-feira, indicou Maria João Frada, prevê-se uma subida significativa dos valores da temperatura mínima, da ordem dos 04/05 graus e da máxima entre 02 e 05 graus.

“Neste dia, vai ocorrer chuva em todo o território, que pode ser chuva forte localmente e (…) pode haver queda de neve acima dos 1000/ 1200 metros, mas é muito temporária, pois com a entrada do ar mais quente a neve fica confinada aos pontos mais altos da Serra da estrela”, disse.

Segundo Maria João Frada, a chuva vem acompanhada de vento moderado a forte do quadrante sul com rajadas que podem atingir os 85 quilómetros por hora, neblinas e nevoeiros.

“Este cenário vai-se prolongar para dia 09 [sexta-feira]. Este será um dia mais grave do que dia 08. Até ao final da manhã de dia 10 vamos ter chuva por vezes forte, especialmente nas regiões do Norte e Centro, e vento forte e ocorrência de trovoadas e granizo.

A meteorologista do IPMA explicou que este cenário vai ser válido até ao final da manhã de dia 10 e depois entra-se em regime de aguaceiros que também podem ser localmente fortes.

“Estão também reunidas algumas condições para ocorrer fenómenos extremos de vento em particular no litoral oeste, mas ainda a acompanhar porque são situações que temos acompanhar mais em cima do acontecimento”, disse.

Segundo a meteorologista, estes próximos dias, pelo menos até domingo, vão ser de ocorrência de precipitação, vento forte e trovoadas.

“Relativamente à agitação marítima, para já está tudo pacífico, mas a partir de dia 09 vamos ter na costa ocidental um aumento da altura significativa das ondas que serão de oeste-sudoeste a partir da tarde com 04 a 05 metro e no dia 10 vão atingir 05 a 06 ou 06 a 07 ou mais, nos dias 10 e 11”, disse.

No arquipélago da Madeira, também está previsto precipitação e vento forte e as ondas podem atingir os quatro a cinco metros de oeste.

De acordo com Maria João Frada, este agravamento deve-se a uma depressão que está no Atlântico, a oeste dos Açores.

“Vem direta para o continente e vai deslocar-se para noroeste. Vai entrar uma massa tropical que é instável e que vai dar origem a esta precipitação continuada e forte e condições para trovoada. Como a depressão está em aproximação do continente, mas está bastante cavada vamos ter uma aumento da intensidade de vento em especial nos dias 10 e 11”, disse.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Recomendações

Recomendações

Comente, dê a sua opinião!