in

Coordenador da corrente socialista da CGTP remete apreciações sobre líder para plano interno

Lisboa, 27 fev 2020 (Lusa) — O socialista Fernando Gomes, que foi candidato a secretário-geral, salientou hoje que, a partir do momento em que foi eleita, Isabel Camarinha é a nova líder da central sindical, remetendo “apreciações” para o foro interno.

“Ficámos confortáveis a partir do momento em que acabou o Conselho Nacional, que teve uma votação de um candidato a secretário-geral alternativo”, afirmou Fernando Gomes num debate sobre o mundo laboral, que decorreu no Clube dos Jornalistas, em Lisboa.

O socialista, que coordena esta corrente da CGTP, lembrou que “Carlos Trindade foi candidato a secretário-geral em 2012, na primeira eleição do Arménio Carlos”, e depois também “em 2016, outra vez contra o Arménio Carlos”, antigo secretário-geral da CGTP.

“Dissemos, e reafirmamo-lo que a partir daquele momento é a secretária-geral da confederação, as apreciações são feitas internamente”, salientou.

Em 15 de fevereiro, depois da eleição de Isabel Camarinha, em congresso, Fernando Gomes tinha declarado total lealdade à nova secretária-geral da CGTP e total disponibilidade para continuar a trabalhar em prol dos interesses da central sindical e dos trabalhadores.

A corrente sindical socialista da CGTP tinha apresentado no dia anterior Fernando Gomes como candidato a secretário-geral da intersindical, por considerar que a proposta de Isabel Camarinha, apresentada pela comissão executiva, levantava “sérias preocupações” pela sua proximidade ao PCP.

O XIV congresso da intersindical decorreu no Seixal (distrito de Setúbal) e tinha como um dos pontos principais a eleição dos novos órgãos e do sucessor de Arménio Carlos.

Isabel Camarinha foi eleita secretária-geral da CGTP com 115 votos favoráveis que recebeu dos 147 elementos do Conselho Nacional da central sindical.

Com a saída, neste congresso, de Carlos Trindade da direção, por limite de idade, Fernando Gomes passou a coordenar a corrente socialista da CGTP e por isso foi candidato à liderança da central sindical.

Mas, tendo em conta que os comunistas são maioritários nos órgãos sociais da central, o seu nome foi, desde logo, chumbado pela nova Comissão Executiva, que aprovou o nome de Isabel Camarinha para ser votado no Conselho Nacional.

A candidatura de Fernando Gomes recebeu seis votos na Comissão Executiva, que é composta por 29 elementos, cinco dos quais socialistas.

Fernando Gomes é membro do Conselho Nacional desde 1999 e da Comissão Executiva desde 2001.

É membro da direção do Sindicato dos Trabalhadores da Hotelaria, Turismo, Restauração e Similares do Sul e coordenador da Comissão de Trabalhadores do Grupo Pestana Pousadas.

Sugestões para ti