in

Corpo de mãe refugiada que abraçava filho bebé encontrado no fundo do Mediterrâneo

Uma equipa de mergulhadores da Guarda Costeira italiana encontrou 13 corpos de refugiados da África subsariana, vítimas do naufrágio na costa da ilha de Lampedusa, em Itália.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

A 7 de outubro, a embarcação que seguia com 35 refugiados afundou e apenas 22 pessoas sobreviveram.

O barco foi encontrado a 60 metros de profundidade. Rodolfo Raiteri, membro da equipa de mergulho, encontrou o corpo de uma mulher que alegadamente morreu abraçada ao filho bebé.

“Ver aquele pequeno corpo deitado no fundo ao lado de quem provavelmente era a sua mãe foi um murro no estômago… Eles ficaram juntos e os braços da mulher fazem-nos pensar que ela o abraçou até ao último momento”, disse o mergulhador ao jornal italiano La Repubblica.

A fotografia do corpo foi publicada no Twitter pela organização não-governamental Open Arms.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

“A imagem choca-nos, mas dói mais saber que as dezenas de pessoas que juntamente com esta pessoa se afogaram, podiam continuar vivas. Elas procuravam uma Europa pacífica e ficaram presas no fundo do mar. Malditos sejam os carrascos. Espero que não os deixe dormir”, pode ler-se.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE  

Receba notícias de última hora e ainda informações importantes sobre Portugal e o mundo, basta clicar no gosto da nossa página de facebook ➜  

Receba notícias de última hora e ainda informações importantes sobre Portugal e o mundo, basta clicar no gosto ➜  

Receba notícias de última hora e ainda informações importantes sobre Portugal e o mundo, basta clicar no gosto ➜  

Deixe uma resposta

Loading…

0

ARTIGOS RECOMENDADOS

Rita Ferro Rodrigues faz agradecimento público a Jordão

Cinha Jardim não gostou das críticas, após acusar Ana Guiomar