Costa reage à polémica com a transferência do Infarmed para o Porto: “mudança será feita a contento de todos”

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O primeiro-ministro, António Costa, definiu esta quarta-feira como “muito importante” a mudança do Infarmed para o Porto, garantindo haver tempo para a fazer “a contento de todos”.

“Temos tempo para o fazer e iremos fazer certamente [a mudança] a contento de todos”, afirmou o primeiro-ministro, em declarações aos jornalistas após uma visita à Escola das Armas, em Mafra.

A mudança para o Porto “dá razão”, sustentou, “à própria candidatura apresentada” pela cidade para receber a Agência Europeia do Medicamento, tendo sido uma das preteridas em detrimento de Amesterdão.

“Se o Porto tinha boas condições para acolher a Agência [Europeia] do Medicamento como é que não tem para acolher a agência nacional? Vai ter seguramente”, declarou António Costa.

O ministro da Saúde, que esteve hoje reunido com representantes dos trabalhadores da sede da autoridade nacional do medicamento, anunciou, na terça-feira, que a sede da entidade vai ser mudada de Lisboa para o Porto.

Segundo Adalberto Campos Fernandes, a instalação da sede do Infarmed no Porto ocorrerá a partir de 1 de janeiro de 2019.

O Infarmed é um organismo central com jurisdição sobre todo o território nacional que até agora tem funcionado com a sede no Parque da Saúde, em Lisboa.

A missão do Infarmed é “regular e supervisionar os setores dos medicamentos, dispositivos médicos e produtos cosméticos, segundo os mais elevados padrões de proteção da saúde pública, e garantir o acesso dos profissionais da saúde e dos cidadãos a medicamentos, dispositivos médicos, produtos cosméticos, de qualidade, eficazes e seguros”, segundo informação no site do organismo.

Este artigo foi publicado originalmente no Expresso

Qual a sua opinião?