in

Covid-19. Açores com 66 casos, mais três novos infetados em São Miguel

Ponta Delgada, Açores, 03 abr 2020 (Lusa) – A Autoridade de Saúde dos Açores elevou hoje para 66 o número de casos positivos de covid-19 na região, com mais três novos casos na ilha de São Miguel, a mais populosa do arquipélago.

No comunicado diário, a Autoridade de Saúde Regional informa que foram diagnosticados três casos positivos de covid-19 na ilha de São Miguel, dois dos quais duas mulheres de 46 e 80 anos, sendo “uma profissional de saúde” e tendo ambas estado “em contacto com casos positivos”.

O terceiro caso diagnosticado é um homem de 56 anos, com “história de viagem recente ao exterior da região”, segundo o comunicado.

A Autoridade de Saúde dos Açores adianta ainda no comunicado que um destes casos “está internado no Hospital do Divino Espírito Santo”, em Ponta Delgada, e “os outros dois encontram-se no domicílio”, mas “todos apresentam situação clínica estável”.

“Os casos estão a ser acompanhados pelas Delegações de Saúde Concelhias, estando em curso os procedimentos definidos para caso confirmado e de vigilância de contactos próximos”, acrescenta.

Até à data, foram detetados na região 66 casos positivos para infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, sendo 31 em São Miguel, 11 na ilha Terceira, três na Graciosa, sete em São Jorge, nove no Pico e cinco no Faial.

Na quinta-feira, o Governo dos Açores decidiu fixar cercas sanitárias nos seis concelhos da ilha de São Miguel, para fazer face à pandemia de covid-19 na região, medida que vai vigorar até 17 de abril.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 940 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 47 mil.

Portugal regista hoje 246 mortes associadas à covid-19, mais 37 o que na quinta-feira, e 9.886 infetados (mais 852), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Deixe uma resposta

Loading…

0

Covid-19: Portugal tem 9.886 infetados e 246 mortes – DGS

Covid-19: Distância na rua e o toque são preocupações para os cegos