in

Covid-19: “Até ao momento” não há infetados ou casos suspeitos em navio atracado em Lisboa – Porto de Lisboa

Até ao momento não existe qualquer passageiro do navio de cruzeiro que chegou a Lisboa com covid-19, ou algum caso suspeito, e depois de desembarcados os portugueses ficarão em quarentena, indicou hoje o Porto de Lisboa.

“Até ao momento, e já a navegar há 10 dias em alto mar, não existe nenhum passageiro com Covid-19 a bordo, ou mesmo algum caso suspeito”, é referido num comunicado do Porto de Lisboa.

O navio de cruzeiros MCS Fantasia, operado pela MSC Cruises, atracou pelas 09:00 no porto de Lisboa, depois de ter saído no dia 09 de março do Rio de Janeiro, Brasil, com destino a Europa.

A bordo do navio viajam 1.338 passageiros, de 39 nacionalidades (incluindo portuguesa), e 1.247 membros da tripulação, de 50 nacionalidades.

Segundo o Porto de Lisboa, as autoridades competentes, em conjunto com a MSC Cruises, estão “a desenvolver esforços que lhe permitam repatriar os passageiros que viajam no MSC Fantasia com a maior celeridade possível”.

Os passageiros portugueses, depois do desembarque, irão ficar 14 dias em quarentena nas suas residências.

Para os passageiros estrangeiros, a MSC Cruises irá fretar charters para os diferentes países de origem “e será criado um corredor entre o porto e o aeroporto de Lisboa durante os próximos dias, para que os passageiros sejam evacuados por avião”.

“Apenas mediante a disponibilidade dos voos os passageiros irão sair do navio com destino ao aeroporto de Lisboa, enquanto os restantes passageiros permanecerão sempre a bordo. A saída do porto para o aeroporto de Lisboa será feita em autocarros, sendo evidentemente cumpridas todas as determinações recebidas das autoridades portuguesas”, lê-se na nota.

Durante esse período o navio permanecerá atracado no porto de Lisboa e a tripulação permanecerá a bordo.

Deixe uma resposta

Loading…

0

Covid-19: Abre no Algarve centro ‘drive-thru’ para despiste do novo coronavírus

Covid-19: Câmara de Coimbra pediu intervenção da PSP face a aglomerado de pessoas no Choupal