in

Covid-19: Câmara de Lisboa abre dois novos espaços para acolher sem-abrigo

Dois novos espaços para acolher pessoas sem-abrigo vão abrir hoje em Lisboa, no Largo de São Domingos de Benfica e no Pavilhão da Tapadinha, e inicialmente terão capacidade para receber 58 pessoas, anunciou a Câmara Municipal.

Numa nota do gabinete do vereador responsável pelo pelouro da Ação Social, Manuel Grilo (BE, partido que tem um acordo de governação da cidade de Lisboa com o PS), é referido que a Casa do Largo, localizada no Largo de São Domingos de Benfica, irá acolher apenas mulheres em situação de sem-abrigo.

A entrada em funcionamento dos novos espaços insere-se nas medidas que a autarquia está a tomar para alargar a resposta de emergência para pessoas em situação de sem-abrigo para fazer face à pandemia de covid-19.

A Casa do Largo, cujo funcionamento será assegurado pela Câmara Municipal e pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, tem capacidade para acolher 18 pessoas, uma por quarto.

“O espaço funcionará 24 horas por dia, todos os dias da semana, com técnicos sociais e enfermeiras. Diariamente serão asseguradas quatro refeições diárias em unidoses. Prevista também está a resposta para a continuidade ou o início de tratamento de substituição opiácea”, lê-se ainda no comunicado.

Além disso, é acrescentado, haverá horários desfasados para refeições e banhos, para manter “as distâncias de segurança”.

Também hoje será aberto o Pavilhão da Tapadinha, “um espaço para 40 pessoas ou mais, se necessário, que funcionará de forma semelhante ao espaço do Pavilhão Casal Vistoso, no Areeiro.

O centro de acolhimento no Pavilhão Casal Vistoso, que entrou em funcionamento no início da semana, tem capacidade para cerca de 40 pessoas e recebe apenas homens.

Nesse centro, a população sem-abrigo tem acompanhamento médico, refeições, mantas, pode trocar de roupa, fazer a sua higiene e dormir.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infetou mais de 250 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 10.400 morreram. Das pessoas infetadas, mais de 89.000 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

O número de mortos no país subiu para seis.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira, depois de a Assembleia da República ter aprovado na quarta-feira o decreto que lhe foi submetido pelo Presidente da República, com o objetivo de combater a pandemia de covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.

O estado de emergência proposto pelo Presidente prolonga-se até às 23:59 de 02 de abril.

Deixe uma resposta

Loading…

0

Covid-19: Super Bock e Levira convertem álcool de produção de cerveja em desinfetante

Covid-19: Restauração em Lisboa adapta-se para continuar a responder à procura