in

Covid-19: CUF centraliza recursos nos maiores hospitais de Lisboa

A CUF anunciou hoje, em comunicado, que, a partir da meia-noite de sábado, vai centralizar os recursos humanos e técnicos nos maiores hospitais da região metropolitana de Lisboa, devido à pandemia de Covid-19.

Desta forma, a CUF informa que “o atendimento permanente a doentes adultos será centralizado nos Hospitais CUF Descobertas, CUF Infante Santo e CUF Cascais”.

Por outro lado, “a clínica CUF Almada e o Hospital CUF Sintra irão encerrar temporariamente o atendimento médico não programado de adultos, mantendo-se em funcionamento o atendimento médico não programado de pediatria”.

O atendimento permanente pediátrico do Hospital CUF Cascais “será transferido, temporariamente, para o Hospital CUF Sintra”, enquanto “a consulta não programada de pediatria do Hospital CUF Infante Santo será temporariamente encerrada, podendo os doentes recorrer aos restantes atendimentos pediátricos da rede CUF (Hospital CUF Descobertas, Clínica CUF Almada e Hospital CUF Sintra)”.

Estas medidas “têm efeitos a partir das 00:00 do dia 14 de março de 2020”, refere a rede de unidades hospitalares, assegurando que “ajustará as medidas adotadas em função da evolução dos acontecimentos”.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.300 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar a doença como pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou hoje o número de infetados, que registou o maior aumento num dia (34), ao passar de 78 para 112, dos quais 107 estão internados.

A região Norte continua a ter o maior número de casos confirmados (53), seguida da Grande Lisboa, cujo registo duplicou para 46, enquanto as regiões Centro e do Algarve têm cada uma seis casos confirmados. Além destas, há um caso assinalado pela DGS no estrangeiro.

O boletim epidemiológico assinala também que, desde o início da epidemia, a DGS registou 1.308 casos suspeitos (mais de o dobro em relação a quinta-feira) e mantém 5.674 contactos em vigilância.

O Governo decidiu declarar o estado de alerta em todo o país, colocando os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

Sugestões para ti