in

Covid-19: DGS garante legalidade da compra a fornecedor que vendeu 30 ME de máscaras

Lisboa, 24 abr 2020 (Lusa) — A diretora-geral da Saúde garantiu hoje o “estrito cumprimento da lei” no “processo de aquisição centralizado” de um elevado valor de máscaras a um único fornecedor que faturou 30 milhões de euros com a venda deste produto.

“Portugal tem uma central de compras que permite um processo de aquisição centralizado e uma economia de escala, que atua estritamente no cumprimento da lei e torna público todos os processos de concurso”, afirmou Graça Freitas na conferência de imprensa diária sobre a covid-19.

A responsável da Direção-Geral da Saúde (DGS) respondia a perguntas dos jornalistas sobre o facto de o portal de compras públicas mostrar que, no último mês, a mesma empresa faturou mais de 30 milhões de euros com a venda de máscaras e que, desde 25 de março, teve como maior cliente a DGS.

“Há uma central de compras que faz aquisição centralizada, atua de acordo com a lei em vigor e publicita esses procedimentos”, insistiu Graça Freitas.

Portugal contabiliza 854 mortos associados à covid-19 em 22.797 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Relativamente ao dia anterior, há mais 34 mortos (+4,1%) e mais 444 casos de infeção (+2%).

Das pessoas infetadas, 1.068 estão hospitalizadas, das quais 188 em unidades de cuidados intensivos, e o número de casos recuperados passou de 1.201 para 1.228.

Portugal cumpre o terceiro período de 15 dias de estado de emergência, iniciado em 19 de março, e o Governo anunciou hoje a proibição de deslocações entre concelhos no fim de semana prolongado de 01 a 03 de maio.

Sugestões para ti