in

Covid-19: Governo aumenta financiamento do ensino artístico em cerca de 10 ME

Lisboa, 09 jun 2020 (Lusa) – O Governo vai aumentar em cerca de 10 milhões de euros o valor da despesa no âmbito de contratos de patrocínio, para apoiar os alunos do ensino artístico especializado, confirmou hoje o Ministério da Educação.

O financiamento dos alunos que iniciem o seu percurso no ensino especializado nos anos letivos de 2020/2021 e 2021/2022, no âmbito de medidas de mitigação dos efeitos da pandemia de covid-19, foi aprovado em Conselho de Ministros, mas o valor da despesa não era conhecido.

Questionado pela agência Lusa, o Ministério da Educação adiantou que o valor aprovado para 2020 é de cerca de 72 milhões de euros, mais cerca de 10 milhões em relação ao ano passado.

“O Ministério da Educação está a financiar um número superior de alunos, o que se reflete nos encargos com os contratos de patrocínio. Há assim no ensino artístico especializado mais alunos financiados”, escreve a tutela.

Além dos alunos que iniciem o seu percurso escolar nos próximos dois anos letivos, também a continuidade daqueles que tenham iniciado o seu ciclo de ensino em anos letivos anteriores será assegurada, até à conclusão do respetivo ciclo.

Estes contratos de patrocínio são celebrados entre o Estado e os estabelecimentos de ensino particular “quando a ação pedagógica, o interesse pelos cursos, o nível dos programas, os métodos e os meios de ensino ou a qualidade do pessoal docente assim o justifiquem”, lê-se no comunicado do Conselho de Ministros.

Segundo a tutela, o objetivo é estimular e apoiar o ensino em domínios que não são abrangidos, ou que são insuficientemente abrangidos, pela rede pública, bem como a criação de cursos com planos próprios e a melhoria pedagógica para o ano letivo de 2020/2021.

Já na quinta-feira, o Conselho de Ministros tinha aprovado a realização de despesa no âmbito da celebração de contratos de associação com os estabelecimentos de ensino privado, para os anos letivos de 2020/2021 e 2022/2023.

A Lusa questionou, na altura, o Ministério da Educação acerca do valor da despesa aprovada para os contratos de associação, que também não era conhecido, mas, até ao momento, não obteve resposta.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 406 mil mortos e infetou mais de 7,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.485 pessoas das 34.885 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano passou a ser o que tem mais casos confirmados, embora com menos mortes.

 

Sugestões para ti