in

Covid-19: Infeções afetam 246 lares, menos de 10% do universo nacional – governo

Lisboa, 14 jun 2020 (Lusa) — Portugal tem hoje casos de infeção por covid-19 em 246 lares de idosos, “menos de 10% do universo” das estruturas residenciais existentes no país, revelou o secretário de Estado da Saúde.

“Em relação a estruturas residenciais para idosos, há menos lares com infeções. Temos casos em 246 estruturas residenciais para idosos, o que representa menos de 10% do universo de lares do país”, afirmou António Lacerda Sales na conferência de imprensa diária sobre a pandemia.

O Governo anunciou a 04 de junho que os idosos institucionalizados em lares passarão a ter acompanhamento médico do Serviço Nacional de Saúde nessas unidades residenciais sem necessidade de se deslocarem aos centros de saúde.

A informação foi dada pelo primeiro-ministro na apresentação do Programa de Estabilização Económica e Social (PEES).

“Os serviços de cuidados de saúde primários passarão a incorporar na sua atividade regular, tal como têm feito nas últimas semanas, o acompanhamento dos idosos institucionalizados em lares e não exclusivamente a sua assistência nas unidades locais de saúde”, disse António Costa.

A 07 de junho, a ministra da Saúde garantiu que os lares e residências para idosos serão visitados por equipas de saúde familiar “enquanto durar” a pandemia, mas a inclusão definitiva dessa rotina será avaliada “num momento posterior”.

Reconhecendo que houve “momentos de preocupação” nas estruturas residenciais para idosos, a ministra adiantou que das 300 unidades da rede nacional de cuidados continuados e integrados só 13 tinham ainda doentes internados positivos, num total de 26 pessoas.

A ministra indicava, ainda, que não havia registo de mortes desde 22 de abril.

Portugal regista hoje 1.517 mortes relacionadas com a covid-19, mais cinco do que no sábado, e 36.690 infetados, mais 227, segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Deixe uma resposta

Loading…

0

Covid-19: Máscaras descartáveis devem ser deitadas ao lixo e não na reciclagem ou rua – DGS

Covid-19: Manusear papel não implica risco muito grande – DGS