in

Covid-19: Lar da Santa Casa de Ovar com 27 utentes hospitalizados

A Santa Casa da Misericórdia de Ovar, que na semana passada alertou para o elevado número de utentes com covid-19 nas suas instalações, revelou hoje que, em 38 doentes sintomáticos, os hospitalizados passaram a ser 27.

Segundo o provedor da instituição do distrito de Aveiro, na qual já se verificaram três óbitos causados pelo novo coronavírus, entre os 120 utentes do lar há atualmente 38 com diagnóstico positivo e, entre os cerca de 50 funcionários da casa, sete também têm a doença e estão em recuperação domiciliária.

Depois de, em 04 de abril, Álvaro Silva ter alertado que a Misericórdia “não é uma unidade de saúde” e apelado a que as autoridades hospitalizassem os utentes em estado mais crítico, ocorreram os internamentos hospitalares, após a primeira consulta de avaliação aos contaminados com covid-19.

“Os 20 utentes infetados que ainda estavam na Santa Casa foram finalmente à consulta no centro de saúde e, desses, nove foram logo reencaminhados para os hospitais de Ovar ou Santa Maria da Feira e os outros 11 voltaram para a instituição para recuperar cá”, referiu à Lusa.

Agora com um total de 27 utentes hospitalizados (dos quais 24 com covid-19 confirmada e três sintomáticos, mas sem diagnóstico definitivo), a situação na maior estrutura residencial da Misericórdia de Ovar está agora “mais desanuviada”, pelo que a prioridade é assegurar o conforto e a convalescença dos restantes residentes do lar.

“Mas é inadmissível que tenhamos estado duas semanas à espera de uma consulta covid-19, enquanto a delegação local de saúde tratava de outras prioridades”, realçou Álvaro Silva.

A coordenação de Ovar do Bloco de Esquerda (BE) emitiu um comunicado em que refere que, “não havendo auxílio por parte de enfermeiros externos”, os funcionários da Misericórdia estão “a fazer turnos de 24 horas, apresentando sinais de absoluta exaustão”.

O BE acrescenta: “Apesar das notícias de que estes idosos serão encaminhados para o recém-criado hospital de campanha, até ao momento essa transferência não se realizou. […] Nestas horas e tempos de angústia, o sentimento de todos os trabalhadores neste lar em Ovar é de medo e abandono. Estão assustados pelos idosos infetados que neste momento não têm qualquer cuidado médico, pelos que já têm sintomas e estão com os demais utentes, e pelos trabalhadores que estão à mercê do contágio”.

Em reação à nota do BE, a administração da Misericórdia de Ovar refere que o que menos se precisa agora são “informações alarmistas que tanto podem perturbar as famílias, os trabalhadores e a comunidade”.

A Santa Casa reconhece o cansaço das equipas e agradece a sua dedicação, acrescentando que, “após o extraordinário esforço de 17 dias provocado pelo confinamento voluntário, as enfermeiras retomaram um horário mais próximo do existente anteriormente”.

“O esforço físico e emocional continua enorme”, afirma, sublinhando que “os funcionários e idosos do lar não estão ao abandono” e que a comunicação entre direção e trabalhadores “tem sido constante”.

Segundo informação da Câmara de Ovar, o município, com 55.400 habitantes, registava na sexta-feira à noite 546 casos confirmados de covid-19, enquanto a Direção-Geral de Saúde indicava apenas 379.

O novo coronavírus responsável pela presente pandemia de covid-19 foi detetado na China em dezembro de 2019 e já infetou mais de 1,7 milhões de pessoas em todo o mundo, causando mais de 100.000 mortes em 193 países e territórios. Desse universo de doentes, mais de 335.000 estão dados como recuperados.

Em Portugal, segundo o balanço de hoje da Direção-Geral da Saúde, registam-se 470 mortes.

Em 17 de março, o Governo declarou o estado de calamidade pública no concelho de Ovar e, em 19 de março, o estado de emergência em todo o país.

Sugestões para ti