in

Covid-19: Metade dos trabalhadores de lares de idosos foram testados e 10% estão infetados

Mais de metade dos trabalhadores de lares de idosos foram testados e 10% estão infetados com covid-19, anunciou hoje o ministro da Administração Interna.

Em conferência de imprensa após a nona reunião da Estrutura de Monitorização do Estado de Emergência devido à pandemia de covid-19, Eduardo Cabrita avançou também que os migrantes requerentes de asilo a viver em alojamentos na região de Lisboa vão ser testados.

O ministro deu conta que está a ser dada prioridade à realização sistemática de testes a trabalhadores de lares de idosos e que este programa está “em plena aplicação”, estando a ser realizado em articulação com as autoridades de saúde, segurança social e com um conjunto de universidade e laboratórios.

“Foram já realizados testes a mais de 50% dos trabalhadores dos lares e até ao final da primeira semana de maio contamos ter testados todos os trabalhadores de lares”, precisou, acrescentando que os níveis de deteção de casos positivos estão à volta dos 10% dos casos testados.

Segundo o ministro, estes 10% “não correspondem a um receio que existia de uma dimensão muito superior de casos positivos”.

Eduardo Cabrita frisou também que o Governo vai promover a realização de testes à covid-19 relativamente a requentes de asilo que se encontram a aguardar decisão administrativa e judicial em alojamentos coletivos sobretudo na área de Lisboa.

A realização destes testes, que vai ser feita em colaboração com o Conselho Português para os Refugiados, acontece depois de terem sido detetados mais de uma centena de migrantes infetados com covid-19 num hostel de Lisboa.

Durante a reunião da estrutura de monitorização foi dado a conhecer que chegaram a Portugal, até quinta-feira, 25 voos com material de apoio médico, designadamente equipamento de proteção individual, ventiladores e material de apoio cirúrgico.

Eduardo Cabrita adiantou que estão programados mais quatro voos para a próxima semana.

Presidida por Eduardo Cabrita, a Estrutura de Monitorização do Estado de Emergência integra representantes das forças e serviços de segurança e os secretários de Estado das áreas governativas da Economia, dos Negócios Estrangeiros, da Presidência do Conselho de Ministros, da Defesa Nacional, da Administração Pública, da Saúde, do Ambiente, das Infraestruturas e Habitação e da Agricultura.

Portugal está em estado de emergência para combater a covid-19 desde o dia 18 de março, que já foi renovado por três períodos, e termina a 02 de maio.

De acordo com a Direção-Geral da Saúde, morreram 854 pessoas das 22.797 confirmadas como infetadas, e há 1.228 casos recuperados, em Portugal.

Sugestões para ti