in

Covid-19: Novos casos na região de Lisboa e Vale do Tejo decorrem de surtos localizados — DGS

A diretora-geral da Saúde afirmou hoje que os 209 novos casos registados na região de Lisboa e Vale do Tejo decorrem de diferentes focos “mais ou menos localizados”, incluindo na Azambuja, Almada e Seixal.

Durante a conferência de imprensa de acompanhamento da pandemia em Portugal, Graça Freitas adiantou que na área abrangida pelo Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Almada-Seixal foram identificados três focos comunitários, com um total de 32 pessoas infetadas, 16 dos quais no Bairro da Jamaica.

“Obviamente que as autoridades de saúde deste ACES, a Câmara Municipal do Seixal e outros intervenientes têm atenuado diretamente nos bairros onde se estão a passar estes fenómenos e têm atuado diretamente nos aglomerados familiares destas pessoas para tentar encontrar casos secundários e quebrar cadeias de transmissão”, afirmou a diretora-geral.

Na Azambuja estão, atualmente, confirmadas 125 pessoas infetadas pelo novo coronavírus, tendo sido registados dois novos casos em duas empresas, precisou Graça Freitas, adiantando que um destes decorreu de um contacto domiciliário e não em contexto laboral.

Questionada sobre a eventual necessidade de encerrar algumas destas empresas, Graça Freitas afirmou apenas que, “apesar de ser um polo industrial muito importante, a situação está sob observação e tende para o controlo”.

“A política de testes está a ser feita de acordo com a estratificação do risco, obedece a um determinado plano e têm-se encontrado muitos poucos casos positivos nos últimos dias”, acrescentou.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo estão, no total, 11.359 pessoas sob vigilância das autoridades de saúde, incluindo os contactos próximos das pessoas que se encontram nos focos de contágio, de forma a acompanhar e quebrar a cadeia de transmissão.

“A situação em Lisboa é complexa e está sob observação, mas também está sob medidas de controlo muito apertadas”, sublinhou Graça Freitas, elogiando o trabalho das autoridades de saúde locais.

Portugal contabiliza 1.342 mortos associados à covid-19 em 31.007 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado hoje.

Relativamente ao dia anterior, há mais 12 mortos (+0,9%) e mais 229 casos de infeção (+0,7%).

O número de pessoas hospitalizadas baixou de 531 para 513, das quais 71 se encontram em unidades de cuidados intensivos (menos uma).

O número de doentes recuperados é de 18.096.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

O Governo aprovou novas medidas que entraram em vigor na segunda-feira, entre as quais a retoma das visitas aos utentes dos lares de idosos, a reabertura das creches, aulas presenciais para os 11.º e 12.º anos e a reabertura de algumas lojas de rua, cafés, restaurantes, museus, monumentos e palácios.

Deixe uma resposta

Loading…

0

Câmara do Porto diz que solução construtiva respeita história do Mercado do Bolhão

Santuário de Fátima preparado para receber fiéis depois de “longo período de tempo doloroso”