Cristiano Ronaldo é o jogador mais solidário, escreve jornal italiano

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O jornal italiano “La Gazzetta dello Sport” distinguiu Cristiano Ronaldo como o jogador mais solidário do mundo.

A publicação destaca a ajuda dada pelo craque a várias causas sociais.

Depois dos prémios futebolísticos, CR7 foi agora distinguido fora do campo, também pelos melhores motivos.

Apesar de pautar pela discrição na hora de ajudar, o jornal desportivo enumerou algumas das ações solidárias do craque madeirense, que ganha mais de “420 mil euros por semana”.

De acordo com o periódico italiano, Cristiano Ronaldo venceu a Bota de Ouro de 2011, fruto dos seus 40 golos na liga espanhola, e doou o troféu à fundação Real Madrid que o leiloou por 1,5 milhões de euros, tendo o dinheiro sido usado para reconstruir escolas em Gaza, na Palestina.

Dois anos mais tarde, o leilão de uma réplica da Bola de Ouro de 2013 rendeu cerca de 600 mil euros que reverteram a favor da associação “Make a Wish”.

No mesmo ano, o jornal escreve que o melhor futebolista do mundo doou à Cruz Vermelha o prémio de 100 mil euros recebido da UEFA, por fazer parte da equipa do ano, tendo no ano seguinte dividido entre três organizações o prémio de 450 mil euros que o Real Madrid lhe havia atribuído pela vitória na Liga dos Campeões.

A “Gazzetta dello Sport” destaca ainda o facto de Ronaldo ser doador de sangue, razão pela qual não tem tatuagens, caso contrário teria de esperar entre três a quatro meses após a realização da última tatuagem para prevenção de infeções.

O jogador passou também a ser dador de medula óssea na altura em que soube que o filho do jogador português Carlos Martins necessitava de um transplante.

Entre muitas outras ações de solidariedade, CR7 prestou auxilio às vitimas do sismo que abalou o Nepal, em abril deste ano, ao fazer uma doação à organização Save The Children e terá doado cerca de 120 mil euros ao hospital em que a mãe, Dolores Aveiro, fez os tratamentos contra um cancro da mama, que viria a superar.

Este artigo foi publicado originalmente no Jornal de Notícias

Qual a sua opinião?