Decisão da Comissão Europeia sobre o Google Shopping: O outro lado da história

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Quando faz compras on-line, deseja encontrar os produtos que procura de uma forma rápida e fácil. E os anunciantes querem promover esses mesmos produtos. É por isso que o Google mostra anúncios de shopping, ligando os nossos utilizadores a milhares de anunciantes, grandes e pequenos de formas que são úteis para ambos.

Acreditamos que a decisão da Comissão Europeia relativa ao Google Shopping subestima o valor dessas ligações rápidas e fáceis. Enquanto que alguns websites comparadores de preços querem, naturalmente, que a Google os mostre de uma forma mais proeminente, os nossos dados mostram que as pessoas, geralmente, preferem links que os levam directamente aos produtos que pretendem e não a websites onde têm que repetir essas mesmas pesquisas.

Pensamos que os nossos resultados actuais do Google Shopping são úteis e são também uma versão muito melhorada dos anúncios só de texto que apresentávamos há uma década. Mostrar anúncios que incluem fotos, avaliações e preços beneficiam-nos, beneficiam os nossos anunciantes e, acima de tudo, beneficiam os nossos utilizadores. E, apenas os mostramos, quando recebemos o seu feedback que são, de facto, relevantes. Milhares de comerciantes europeus utilizam estes anúncios para competirem com grandes companhias como a Amazon e eBay.

Decisão da Comissão Europeia sobre o Google Shopping: O outro lado da história

Quando a Comissão Europeia questiona o porquê de alguns sites comparadores de preços não estarem tão bem quanto outros, achamos que a Comissão deveria considerar que muitos websites têm crescido neste período – incluindo plataformas como a Amazon e o Ebay. Com as suas ferramentas de comparação e avaliações, milhões de retalhistas e uma vasta gama de produtos desde ténis a produtos alimentares, a Amazon é um concorrente formidável e tornou-se o primeiro local para pesquisas de produtos. E, à medida que a Amazon tem vindo a crescer, é natural que alguns serviços de comparação se tenham tornado menos populares. Nós concorremos com a Amazon e outros sites para shopping na medida que disponibilizamos informações cada vez mais úteis relativas aos produtos que as pessoas pesquisam.

Quando usa o Google para pesquisar produtos, tentamos responder ao que procura. A nossa capacidade de fazê-lo não é favorecer-nos ou qualquer outro website ou vendedor em particular. Trata-se apenas do resultado de um trabalho árduo e uma inovação constante baseados no feedback dos utilizadores.

Dada a evidência, discordamos respeitosamente das conclusões hoje anunciadas. Vamos analisar detalhadamente a decisão da Comissão Europeia ao mesmo tempo que vamos considerar um recurso e apresentarmos a nossa argumentação.

Arigo de Kent Walker, SVP e General Counsel

Qual a sua opinião?