Desenterram mortos a cada três anos e mudam-lhes a roupa

Detectámos que tem um Ad Block ativo

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o Ad Block (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Há centenas de anos que a pequena comunidade de Toraja, situada em Rindigallo, na Indonésia, comemora o Festival Ma’nene – Limpeza do Cadáver – no qual a cada três anos desenterram os mortos por um dia.

Este ritual ancestral tem como objetivo permitir que as pessoas possam estar com aqueles que amam, mesmo que já tenham partido.

Para além de ficarem com os cadáveres durante umas horas, ainda trocam as roupas dos mesmos e tiram fotografias de família.

Desenterram mortos a cada três anos e mudam-lhes a roupa

Os caixões são reparados ou substituídos por novos para evitar que os corpos se decomponham a um nível acelerado, sendo que todos são mumificados após a morte.

Para alguns este é um ritual tão importante que todo o dinheiro ganho é guardado para este momento.

Antes de os corpos serem novamente enterrados, os familiares tem como hábito colocar junto dos mesmos uma lembrança simples e com significado, como uns óculos ou uma pulseira, no entanto vários tem sido aqueles que preferem colocar objetos mais caros, como joias.

Este costume tem levado a um crescente número de roubos de caixões, no entanto a polícia local já iniciou uma investigação aos casos existentes.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Recomendações

Recomendações

Comente e partilhe a sua opinião!

Vídeo do dia