in

DGS em contacto com autoridades espanholas após infeção pelo Covid-19 de Luis Sepúlveda

A Direção-Geral de Saúde (DGS) está em contacto com as Autoridades de Saúde de Espanha, depois do escritor Luís Sepúlveda, que esteve presente no festival Correntes de Escrita, na Póvoa de Varzim, ter sido infetado pelo novo coronavírus.

Em comunicado hoje divulgado, a DGS refere que a Autoridade de Saúde da Região Norte já iniciou uma “investigação epidemiológica”, ou seja, está a identificar os contactos próximos de Luís Sepúlveda e da sua mulher, que estiveram em Portugal de 18 a 23 de fevereiro.

O diagnóstico laboratorial do escritor chileno “foi positivo, aguardando confirmação pelo respetivo laboratório nacional de referência” estando também a ser investigada a fonte de infeção, acrescenta a DGS.

A mulher do escritor, que também se encontra em isolamento no hospital das Astúrias, “parece também ter sintomatologia compatível, encontrando-se sob investigação”, segundo a DGS.

Entretanto, a organização do festival criou “um grupo de acompanhamento”, depois de confirmar que Luís Sepúlveda está infetado com o novo coronavírus, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim (distrito do Porto), que organiza o festival, explica que “foi constituído um grupo de acompanhamento” que “seguirá todas as recomendações” da Direção-Geral de Saúde.

O jornal espanhol La Voz de Asturias noticiou no sábado que o escritor, de 70 anos, é o primeiro caso confirmado na região das Astúrias, em Espanha, e está em isolamento no Hospital Universitário Central das Astúrias, em Oviedo.

A 21.ª do festival Correntes d’Escritas decorreu de 19 a 23 de fevereiro com a participação de quase uma centena de autores de expressão ibérica, de 14 nacionalidades, que participaram em várias atividades, como debates e encontros com público.

Segundo a organização do festival, o grupo de acompanhamento está “em contacto direto com as entidades responsáveis de saúde local, regional e nacional”, remetendo “toda a comunicação sobre este assunto” para a Direção-Geral de Saúde.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro na China e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou quase três mil mortos e infetou mais de 86 mil pessoas, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde.

Das pessoas infetadas, mais de 39 mil recuperaram.

No sábado, a Direção-Geral de Saúde (DGS) revelou que Portugal teve 70 casos suspeitos de infeção pelo novo coronavírus, dos quais 67 deram negativo e os restantes três aguardam resultados laboratoriais.

Adriano Maranhão, o primeiro a ser infetado com o novo coronavírus num navio, recebeu hoje alta hospitalar no Japão, depois de resultados negativos nas análises, segundo a sua mulher, Emmanuelle Maranhão.

Sugestões para ti