in

Diretora do IDN defende mais cooperação entre Defesa e Segurança

Lisboa, 23 nov 2019 (Lusa) — A diretora do Instituto de Defesa Nacional (IDN) advertiu hoje que é necessário aprofundar a cooperação entre as instituições de Defesa e de Segurança Interna face a ameaças que não conhecem as fronteiras tradicionais entre os dois domínios.

Em entrevista à Lusa, Helena Carreiras defendeu que “é preciso operacionalizar” e aprofundar as “formas de cooperação entre as várias instituições da Defesa e da Segurança, repensando os “paradigmas tradicionais”.

“As ameaças são transnacionais e não reconhecem estas fronteiras que nós temos nas nossas organizações e esse é um desafio que temos de enfrentar”, a ligação entre a defesa externa e a segurança interna e os próprios conceitos, disse, admitindo que o tema “é sensível” em termos políticos.

Helena Carreiras frisou que a questão não deixará de estar em reflexão no âmbito dos estudos já solicitados ao IDN pelo ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, para uma futura revisão do Conceito Estratégico de Defesa Nacional (o mais recente foi aprovado em 2013).

“São conceitos que já não permitem enfrentar adequadamente as novas ameaças que têm uma natureza muito mais incerta muito mais transnacional e que afetam a nossa segurança e a nossa vida em dimensões que estão realmente muito para além da dimensão militar estrita”, especificou.

Outras matérias que estarão em análise no âmbito daqueles estudos serão as “questões da resiliência cibernética”, a energia, a transformação digital e os desafios que as alterações climáticas colocam à Defesa Nacional, disse.

Sugestões para ti