in

Dois bombeiros feridos durante combate às chamas em Chaves

CMTV

Oito meios aéreos e mais de 200 operacionais estão a combater um incêndio em Vila Verde da Raia, Chaves, tendo como principal dificuldade o vento forte, disse o comandante distrital de operações de socorro de Vila Real.

Segundo apurou o CM, as chamas consumiram já alguns armazéns e barracões no local. Dois bombeiros ficaram feridos com queimaduras, após um acidente durante o combate.

Álvaro Ribeiro afirmou à agência Lusa que o incêndio teve “várias projeções” e está “com grande intensidade” devido ao “vento que se faz sentir” e do tempo “muito quente”.

O fogo lavra, segundo o responsável, “numa zona de muito arvoredo”.

Álvaro Ribeiro disse que foram mobilizados para o local 222 operacionais, 70 veículos e oito meios aéreos.

O alerta foi dado pelas 13h37.

Autarca de Chaves suspeita de fogo posto em Vila Verde da Raia

O presidente da Câmara de Chaves, Nuno Vaz, disse que “estranhamente” o incêndio que deflagrou em Vila Verde da Raia, teve “três a quatro focos iniciais” o que leva a suspeitar de uma “ação criminosa”.

“O combate está sobretudo centrado na defesa e proteção das habitações. O comando tem mobilizado recursos e meios no sentido de garantir que as vidas humanas e as habitações destas populações não são afetadas. Tem sido aí o foco principal”, salientou.

As preocupações, de acordo com o presidente, estão também centradas na possibilidade de ocorrer uma “tempestade seca”, o que significa que “muito calor com uma intensidade de ventos” pode “pôr em causa a operacionalidade dos meios”.

“A situação, neste momento, inspira muitos cuidados”, frisou.

Porque o fogo está na zona de fronteira, o autarca disse que tem havido “comunicações entre os comandos” no sentido de que possam ser mobilizados também meios da Galiza.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Deixe uma resposta

Loading…

0

SEJD destaca “passo decisivo” no desporto com resolução do Conselho de Ministros

Cerca de 50 pessoas apelaram para “mudança de paradigma” no arranque de temporada tauromáquica