Duzentos voluntários vão limpar albufeira de Santa Águeda em Castelo Branco

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Duas centenas de voluntários participam no dia 04 de novembro numa ação de limpeza da albufeira de Santa Águeda, em Castelo Branco, uma iniciativa que pretende sensibilizar a população para a proteção ambiental.

A iniciativa é organizada pela Plataforma de Defesa da Albufeira de Santa Águeda, em parceria com as Câmaras de Castelo Branco e do Fundão e da Agência Portuguesa do Ambiente (APA). Decorre no dia 04 de novembro, entre as 08:30 e as 13:00.

“A ação de 04 de novembro junta os esforços de quatro entidades e envolve juntas de freguesia e um conjunto de associações e escolas que vão ter uma participação voluntária na ação de limpeza”, explicou o presidente do município de Castelo Branco, Luís Correia.

O autarca, que falava durante uma conferência de imprensa para divulgar e apresentar a iniciativa “Vamos Limpar a Albufeira de Santa Águeda/Marateca”, adiantou que os meios logísticos vão estar a cargo dos dois municípios envolvidos e pela APA.

“O objetivo é fazer um esforço no sentido de melhorar o ambiente e de sensibilizar as pessoas para a necessidade de ter uma barragem limpa. Com o esforço de todos e se todos tiverem consciência, será mais fácil manter a barragem limpa”, disse.

Por seu turno, Natália Escada, da Plataforma de Defesa da Albufeira de Santa Águeda, disse que esta ação nasceu com o intuito de alertar para o estado da albufeira em consonância com a legislação em vigor, sendo que o objetivo passa pela preservação do ambiente e defesa da qualidade da água.

Esta albufeira, que abastece de água os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova e Vila Velha de Ródão, tem um plano de ordenamento em vigor desde 2005, onde estão definidas várias faixas de proteção com o respetivo zonamento para salvaguardar a integridade e qualidade do local e consequentemente da água de abastecimento publico.

Esta responsável adiantou ainda que estão já inscritos 150 voluntários (esperam-se cerca de duas centenas) e o espaço da albufeira vai ser dividido em oito percursos que estão devidamente assinalados.

A albufeira tem um perímetro de cerca de 30 quilómetros, sendo que cada um dos oitos percursos definidos vai ter mais ou menos uma distância de três quilómetros, onde cada equipa, constituída por 25 voluntários, irá atuar.

Todo o lixo recolhido é depositado num local próprio, devidamente assinalado, e posteriormente a recolha vai ser realizada pelos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Castelo Branco.

Já Susana Fernandes, da APA, adiantou que esta ação vai ter um “impacto imediato” na albufeira e repercussão na qualidade da água.

“A prevenção só é conseguida com ações de formação. Espera-se que esta tenha um efeito pedagógico na população”, concluiu.

Paulo Águas, da Câmara do Fundão, adiantou que o município teria que se associar a esta iniciativa: “Se há áreas de parceria importantes, uma delas é certamente a albufeira”.

Qual a sua opinião?