EMEL bloqueia “Cristas”

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Uma carrinha de propaganda da candidata do CDS à Câmara de Lisboa foi bloqueada esta quarta-feira, pelas 12:00, na zona de Santos.

O caricato da situação é que a mensagem de campanha inscrita na carrinha faz apelo precisamente à necessidade de mais estacionamento na cidade.

Ontem, a candidata do CDS-PP à Câmara de Lisboa defendeu um “estatuto de benefício” no estacionamento para moradores embrulhado num panfleto semelhante a multas da EMEL.

“Vai ser uma surpresa”, dizia Assunção Cristas, enquanto colocava panfletos com as suas propostas para a EMEL, de formato e desenho semelhantes às multas colocadas pela empresa municipal de estacionamento de Lisboa nos para-brisas dos carros.

De colete refletor da coligação “Pela Nossa Lisboa” (CDS-PP/MPT/PPM), Assunção Cristas percorreu ruas das Avenidas Novas acompanhada pela candidata àquela junta, a ex-jornalista Raquel Abecassis.

“O programa Lisboa Parque é um estatuto de benefício para os moradores, porque achamos que os moradores têm sido perseguidos pela EMEL e, naturalmente, não são os moradores das classes mais altas, que esses têm estacionamento, não é para casas de 500 mil euros, 600 mil euros, um milhão”, defendeu Assunção Cristas.

Cerca de uma hora depois do ponto de encontro na pastelaria Versalhes, já na Visconde de Valmor, a candidata e líder do CDS-PP justificou a escolha do local para a ação “Vamos desbloquear Lisboa” com a particular penalização aos moradores das Avenidas Novas pela ação da EMEL.

Este artigo foi publicado originalmente no Diário de Notícias

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?