Estudo comprova que o cheiro do mato tem um grande poder de cura

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Passear pela natureza pode melhorar substancialmente a saúde do ser humano. Quem o garante é uma equipa de cientistas japoneses que conseguiram provar que sentir o cheiro da natureza reduz a pressão arterial e aumenta as moléculas anti-cancerígenas na corrente sanguínea.

Os investigadores da universidade Nippon Medical School, em Tóquio, estudaram os efeitos que óleos essenciais e aerossóis emitidos por plantas e árvores podem ter no corpo humano. As conclusões deste estudo revelam que o contacto com a natureza reduz drasticamente o stress sobre o sistema nervoso.

Segundo a revista norte-americana The Atlantic Cities, Qing Li, especialista em higiene e saúde pública daquela universidade, afirma que as caminhadas na floresta ativam as células do sistema imunológico responsáveis pelo combate a infecções e contra o cancro. O especialista pretende agora comprovar que o cheiro das árvores é o principal agente nestas alterações no organismo humano.

Estudo comprova que o cheiro do mato tem um grande poder de cura

Natureza reforça ação do sistema imunológico

“Comprovamos que o ambiente da floresta impulsiona as proteínas intracelulares anti-cancerígenas dos linfócitos e aumenta a atividade destas células durante um período de sete dias depois da realização da caminhada, tanto em sujeitos do género masculino como do género feminino”, explica a equipe no estudo.

Os linfócitos são células presentes no sistema imunológico do corpo humano que defendem o organismo contra invasão de agentes estranhos. Para além destes benefícios, os passeios entre a natureza podem ainda reduzir o stress sobre o sistema nervoso.

O estudo foi desenvolvido com a ajuda de doze voluntários, entre os 37 e os 60 anos, que permaneceram num hotel numa zona urbana do Japão por três noite, entre as 19 horas da tarde e as 8 horas da manhã.

Ao longo deste período, os participantes foram vaporizados com um umidificador que continha substâncias presentes nas plantas das florestas tendo a experiência revelado, em análises ao sangue e urina, as alterações provenientes do contacto com esses compostos.

Qing Li e alguns dos seus colegas criaram a International Society of Nature and Forest Medicine, uma instituição que se baseia na natureza e nas suas propriedades para ajudar na cura de doenças e desenvolver terapias medicinais em todo o mundo.

Estudo comprova que o cheiro do mato tem um grande poder de cura

Conclui-se que se muitas vezes a ciência é fundamental para descobrir e inventar melhorias para nossas vidas, outras vezes sua tarefa é somente confirmar aquilo que a sabedoria popular e ancestral já sabe: dar uma volta em meio ao verde e respirar fundo faz um enorme bem para nossos corpos. Torna-se mais evidente que salvar a natureza é uma questão imediata de saúde pública.

Estudo comprova que o cheiro do mato tem um grande poder de cura

Também já foi comprovado que olhar para fotografias com temas relacionados ao meio ambiente relaxa o cérebro da mesma maneira que se o indivíduo estivesse no local fotografado.

Este artigo foi publicado originalmente em Jardim do Mundo

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?