in

Europol alerta para atividade dos Hammerskins e Escudo Identitário em Portugal

Haia, 23 jun 2020 (Lusa) — O relatório anual de 2020 da Europol alertou hoje que o Escudo Identitário é “um dos grupos identitários mais ativos em Portugal” e que os Hammerskins continuam ativos, “apesar da menor capacidade de mobilizar seguidores”.

No relatório, hoje divulgado, a Europol conclui que os Hammerskins, apesar da menor capacidade de mobilizar seguidores e membros”, conseguiu organizar um encontro em Sintra, em janeiro, e outro em Lisboa, em março, que reuniu “várias gerações de ‘skinheads’, incluindo militantes veteranos do Movimento de Ação Nacional (MAN) e membros de uma banda rock Ódio e Guarda de Ferro, que cessaram as suas atividades há vários anos”.

Há dez dias, em 13 de junho, o Ministério Público acusou e pediu o julgamento de 27 arguidos por crimes de discriminação racial, religiosa ou sexual, ofensa à integridade física, incitamento à violência, homicídio qualificado, roubo, tráfico de estupefacientes e de armas, num processo relacionado com os Hammerskins.

Ainda no capítulo sobre as organizações extremistas, a agência europeia descreve que em Portugal “as atividades de grupos neo-nazis têm relações muito próximas com grupos e organizações do movimento europeu identitário”.

“Em Portugal, um dos grupos identitários mais ativos é o `Escudo Identitário´”, acrescenta a Europol.

Deixe uma resposta

Loading…

0

Trabalhadores do Lusitana-restauração vão pedir subsídio de desemprego após três meses sem salários

Covid-19: CDS vai propor alargamento do ‘lay-off’ a sócios-gerentes no Orçamento Suplementar