Explosão de telemóvel mata jovem de 18 anos

Detectámos que tem um Ad Block ativo

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o Ad Block (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Uma jovem de 18 anos morreu na sequência da explosão do seu telemóvel em Kheriakani, na Índia. Uma Oram estava a usar o aparelho para falar com familiares quando o pôs a carregar e a bateria explodiu, causando-lhe ferimentos graves nas mãos, tronco e pernas.

A família está profundamente revoltada e divulgou as imagens do aparelho destruído. “A bateria do telemóvel estava a acabar e ela resolveu pô-lo a carregar enquanto fala. De repente ouvimos uma explosão e encontrámo-la inconsciente, caída no chão.

Declararam-na morta assim que chegou ao hospital”, conta à imprensa local o irmão da jovem, Durga Prasad Oram.

Segundo a família relatou, o telemóvel era um Nokia 3310 mas, nas fotografias divulgadas, o telemóvel que explodiu parece tratar-se de um modelo Nokia 5233.

No entanto a empresa mãe da Nokia descarta responsabilidades e garante que o aparelho não era original. “Ainda que não tenhamos verificado todos os factos desta questão, podemos confirmar que o aparelho em questão não foi feito nem vendido pela HMD Global, a nova casa dos telemóveis Nokia, criada em 2017 para lançar uma nova linha de telemóveis.

A HMD Global está comprometida em produzir aparelhos móveis de alta qualidade, que correspondam às expetativas de experiência dos consumidores”, explica a empresa em comunicado.

A polícia indiana está a investigar o caso. Foram recolhidas provas na casa de Uma, cujo corpo será agora sujeito a autópsia.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Recomendações

Recomendações

Comente e partilhe a sua opinião!

Vídeo do dia