Família criou urso durante dois anos pensando ser um cão

Detectámos que tem um Ad Block ativo

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o Ad Block (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Uma mulher comprou o que pensou ser um cão da raça Mastim tibetano durante umas férias. Dois anos depois, a chinesa descobriu que o animal era, na verdade, um urso de 200 quilos.

Ao jornal “China News”, Su Yun disse que, durante os dois anos, ficava “espantada” com a quantidade de comida que o cão, chamado Little Black, comia. “Uma caixa de frutas e dois baldes de noodles todos os dias”, contou.

A família percebeu que o cão era, afinal, um urso quando Little Black parou de crescer e começou a andar sobre duas pernas. “À medida que crescia, mais se assemelhava a um urso”, afirmou Su, acrescentando: “Eu tenho um pouco de medo de ursos”.

Uma vez que em Yunan, província chinesa onde vive Su, criar ou possuir animais selvagens é ilegal, a família decidiu procurar ajuda num jardim zoológico local. Su falou com o Kunming Zoo, mas não apresentou o certificado de nascimento do urso, por isso, não puderam ajudar.

Na última quarta-feira, Su contactou a Polícia Florestal de Kunming, que sugeriu que a família enviasse o urso para o Centro de Resgaste de Vida Selvagem de Yunnan.

Foi confirmado que o animal é um Urso Preto Asiático, uma espécie protegida na China. Um relatório preliminar mostrou que o animal está bem de saúde e que não tem feridas nem cicatrizes no corpo.

Os Ursos Pretos Asiáticos são uma espécie ameaçada amplamente comercializada por contrabandistas ilegais na Ásia.

Este artigo foi publicado originalmente no Jornal de Notícias

Recomendações

Recomendações

Comente e partilhe a sua opinião!