Figueira Film Art arranca na segunda-feira com 67 filmes de 13 países a concurso

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Figueira da Foz, Coimbra, 24 ago (Lusa) – O Figueira Film Art, que se realiza na Figueira da Foz, começa na segunda-feira e estende-se até 03 de setembro, contando com 67 filmes de 13 países a concurso, anunciou a organização.

A quarta edição do festival tem como padrinho João Mário Grilo, sendo exibido durante o certame o filme da autoria do cineasta “A Vossa Terra”, sobre o arquiteto Gonçalo Ribeiro Telles, disse à agência Lusa o diretor do Figueira Film Art, Luís Albuquerque.

Na cerimónia de abertura, será exibido o filme do realizador francês Stéphane Brizé, “A vida de uma mulher”, que foi selecionado para competir no Festival de Cinema de Veneza, em 2016.

Depois de ter recebido 4.804 propostas a concurso em 2016, o Figueira Film Art optou por taxar a inscrição para reduzir “significativamente” o número de filmes propostos a concurso, explanou o responsável pelo evento.

“O escrutínio foi feito de forma mais rigorosa e conseguimos contar com filmes com outra qualidade”, sublinhou Luís Albuquerque.

A exibição de filmes em competição vai decorrer de 29 de agosto a 02 de setembro, no Centro de Artes e Espetáculos (CAE) da Figueira da Foz.

A cerimónia de encerramento (entrega de prémios), assim como os colóquios, vão decorrer no Casino da Figueira da Foz.

Segundo Luís Albuquerque, no último dia de festival, 03 de setembro, são exibidos no grande auditório do CAE os filmes vencedores, estando a competição dividida em seis categorias: ficção, documentário, curta documental, curta ficção, videoclipe e escolas (cinema realizado em contexto escolar ou académico).

O Figueira Film Art surgiu na sequência do Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz, que se realizou durante cerca de 30 anos, tendo terminado em 2002.

“Apresentamos condições de logística e de exibição e sentimos que as pessoas gostam muito do festival e daquilo que se tem apresentado”, realçou Luís Albuquerque, considerando que o que falta ao Figueira Film Art para crescer “é um ‘major sponsor’ [patrocínio principal]”, que poderá aparecer “no próximo ano”.

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?