Fórum do Futuro procura soluções para o impacto do ser humano no planeta, a partir de domingo no Rivoli

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Clima, Violência, Sexualidade, Tecnologia e Extinção constituem os pilares do debate interdisciplinar que o Fórum do Futuro promove, já a partir do próximo domingo e até dia 11 deste mês, questionando a pegada humana no planeta e refletindo sobre as eventuais soluções para a Humanidade e a Terra.

Contando com oradores de várias nacionalidades e especialistas das áreas das artes, das ciências e do pensamento, a quarta edição deste evento promovido pela Câmara do Porto propõe-se incentivar e difundir uma reflexão sem tabus e equacionar as mais diversas e, por vezes, ousadas soluções.

O ponto de partida é o tema “Terra Eléctrica” e o pressuposto de que o mundo se eletrificou, o que criou uma intensa corrente de energia humana que passou a interferir na configuração dos múltiplos sistemas do planeta.

Chamada por muitos “Antropoceno” e por outros “Capitaloceno”, esta era tem vindo também a suscitar em vários especialistas o desenvolvimento de pensamentos, investigações e intervenções críticas que visam dar resposta ao impacto da presença humana na natureza.

São muitos desses atores que, a partir de domingo, se encontram no Porto para partilhar e difundir as suas ideias sobre as questões que mais agitam, na atualidade, a estabilidade do planeta e põem em causa o futuro da Humanidade.

Como devemos relacionar-nos com a Natureza e encarar o facto de nela nos inscrevermos é a grande questão para que, ao longo de sete dias, múltiplas conferências de acesso gratuito no Rivoli, mas também performances e exposições, tentarão encontrar hipóteses de resposta.

Logo no dia de abertura, no Rivoli, o sociólogo Richard Sennett, autor dos Quito Papers, expõe a sua perspetiva “A caminho da cidade aberta” sobre o futuro próximo das grandes metrópoles, a partir das 16 horas.

Segue-se, pelas 19 horas, uma performance da artista Alexandra Duvekot, que integra uma composição musical em interação com plantas doentes e uma apresentação da sua investigação acerca da possibilidade de comunicação entre o Homem e as plantas.

A última sessão do dia, ainda no Rivoli, tem lugar às 21,30 horas com a exibição do filme de Marie Losier “The Ballad of Genesis and Lady Jaye”, que narra a história do/a artista Genesis Breyer P-Orridge e da sua mulher e parceira artística, Lady Jaye, que por amor decidiram fundir-se numa só entidade.

A obra de Genesis (que, por motivos de saúde, cancelou a tour europeia e a vinda ao Fórum do Futuro) será assim assinalada com a exibição deste documentário, com apresentação por Mykki Blanco e Stanley Schtinter.

Qual a sua opinião?