Obrigado por visitar o Informa+

Utilizamos cookies para melhorar a experiência do utilizador, fornecer funcionalidades de redes sociais, personalizar conteúdos, anúncios e analisar o tráfego no site. Consente? Pode alterar as suas definições de cookies em qualquer altura.

PUB
Categories: Portugal
| Em
25/11/2019 21:55

Funcionária da Câmara de Almodôvar suspeita de burlar idosa em 51 mil euros

Maria Constança Guerreiro, de 81 anos, pensou que estava a assinar um documento para ver a sua reforma aumentada, mas, alegadamente, estava a passar os terrenos de que era proprietária para o nome de uma funcionária da Câmara de Almodôvar e ainda prima afastada.

PUB

Em causa estão nove terrenos com um valor patrimonial de 51 mil euros.

Dina Cavaco, a alegada burlona e Assistente Social na Câmara de Almodôvar, desmente a idosa. Na sua versão, Maria queria vender os terrenos e ter-lhe-á dito que os trocava para saldar uma dívida à funcionaria da câmara no valor de 10 mil euros.

A escritura foi marcada no Cartório Notarial de Beja. Segundo os registos, a alegada vítima fez-se representar por Maria do Céu Valente, com escritório em Beja e advogada da compradora.

Uma situação que a idosa diz não fazer sentido já que não conhece e nunca viu Maria do Céu Valente. A advogada afirma que tudo foi feito com base na lei.

Fonte da Câmara de Almodôvar disse ao CM que Dina Cavaco poderá ter “utilizado indevidamente e em proveito próprio o lugar que ocupa na autarquia”.

Maria Conceição Guerreiro reside na vila, mas os terrenos que tinha estão localizados na freguesia de São Barnabé. A idosa nunca casou e terá dedicado a vida a um irmão mais novo, que está acamado. Terá sido para solicitar ajuda para o irmão junto do Gabinete de Acção Social da autarquia, que o relacionamento com Dina Cavaco ficou mais próximo.

António Bota, presidente da Câmara de Almodôvar, já veio dizer que “após ter tomado conhecimento dos actos, alegadamente praticados por uma trabalhadora da autarquia (…), determinei de imediato a instauração do competente processo de inquérito (…).

O CM sabe que durante o decorrer deste processo interno, a assistente social ficara suspensa de funções.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã
PUB
Partilhar
Mais informação sobre: BurlasCrime
PUB
Comente. Dê a sua opinião
PUB