“Fund’Arte” leva arte pública a aldeias do Fundão

Quatro aldeias do concelho do Fundão vão inspirar e acolher dez intervenções de arte urbana que vão ser criadas no âmbito no “Fund’Arte – Aldeias Criativas”, projeto que resulta de uma parceria entre a câmara local e a Fundação EDP.

PUB

“Trata-se de um projeto com duração de sensivelmente um ano, que pressupõe a transformação, a requalificação e a beneficiação dos quatro postos de transformação da EDP nestas quatro localidades, mas também intervenções no espaço público”, especificou hoje o vice-presidente da Câmara do Fundão, Miguel Gavinhos, na sessão de apresentação do projeto.

O vice-presidente desta autarquia do distrito de Castelo Branco destacou a importância deste projeto, quer em termos de “dimensão artística”, quer ao nível da “dimensão turística”, e explicou que o objetivo é o de que as obras venham a integrar um roteiro de arte urbana que englobe outras intervenções de arte urbana já existentes no concelho.

Este ano, o projeto será implementado nas freguesias em Alcaria, Capinha, Pero Viseu e Vale de Prazeres, e também integra a realização de assembleias comunitárias, que juntarão artistas e população local.

Aos artistas caberá desmitificar o papel da arte, enquanto a população será desafiada a dar sugestões e a partilhar as histórias e costumes da terra que podem servir de fonte de inspiração para as criações.

Estas assembleias decorrem nos dias 05 e 07 de julho e devem repetir-se em setembro, altura em que os artistas já vão apresentar propostas de intervenção para os espaços selecionados, conforme explicou Sandra Santos, da Fundão EDP.

Esta responsável lembrou que o “Fund’Arte – Aldeias Criativas” encaixa no programa “Arte Pública”, que a Fundação EDP tem vindo a promover em várias regiões e localidades do país com o objetivo de “democratizar o acesso à arte” e permitir o “envolvimento da população em novas experiências culturais”.

No caso do Fundão, o programa vai prolongar-se, previsivelmente, até ao início da primavera de 2020, altura em que serão apresentados os trabalhos realizados.

Nuno Cunha, artista plástico que tem desenvolvido trabalhos de curadoria, e Guga Liuzzi, que iniciou a carreira no Rio de Janeiro, no Brasil, e que tem experimentado vários estilos nas artes plásticas e de rua, são os dois artistas já confirmados para este projeto.

Vão juntar-se-lhes outros dois criadores, cuja escolha será feita no âmbito do concurso “Ilustra a Tua Terra”, que arrancou hoje e que convida os interessados a apresentarem as respetivas candidaturas até ao dia 20 de junho, na página oficial da Fundação EDP. Os vencedores deste concurso serão conhecidos no dia 28 de junho.

O “Fund’Arte – Aldeias Criativas” tem um orçamento de 50 mil euros, sendo que 90% são suportados pela Fundação EDP e os restantes dez serão assegurados pela autarquia fundanense.

O programa “Arte Pública” Fundação EDP, iniciado em 2015, utiliza a arte como instrumento de inclusão social, estando já presente em 40 localidades – no Algarve, Alentejo, Ribatejo, Médio Tejo, Trás-os-Montes e Minho – com obras de mais de 35 artistas, como Xana, Alexandre Farto aka Vhils, Mariana A Miserável ou Manuel João Vieira.


Recomendados

Recomendados

Comente, qual a sua opinião?
A carregar...

Outros conteúdos na web