Governo quer canalizar formação para setores com falta de mão-de-obra

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, afirmou que «há alguns setores onde já se sente a falta de mão-de-obra» e que é para estes setores que o Governo quer «canalizar a formação e ajudar quem está no desemprego a encontrar um emprego mais qualificado».

Na visita à fábrica de calçado Ara, em Seia, o Ministro referiu que «é assim que se progride e é este o caminho que o Governo está a fazer», permitindo melhores condições e remuneração a quem está no desemprego.

«Temos de valorizar mais a mão-de-obra e temos de trazer mais mão-de-obra para o mercado de trabalho, com melhores qualificações. Esta é uma aposta que está no Plano Nacional de Reformas e é uma aposta que estamos a seguir com toda a convicção», acrescentou.

Problemas «mais positivos»

Manuel Caldeira Cabral afirmou que o nível de desemprego em Portugal ainda é elevado mas que quando o problema é de mão-de-obra, fala-se «de problemas que são mais positivos do que quando o Governo entrou em funções».

«Eram problemas de muito desemprego, de muita mão-de-obra sem ser ocupada e de pessoas a sair do País», disse.

A fábrica de calçado alemã Ara está em Seia há 26 anos, conta com cerca de 420 trabalhadores e está a preparar um investimento de 1,5 milhões de euros para os próximos meses para adquirir uma máquina que aumente a produção.

O investimento fará com que seja necessário contratar cerca de 30 trabalhadores.

Este artigo foi publicado originalmente no Portal do Governo de Portugal

Qual a sua opinião?