Obrigado por visitar o Informa+

Utilizamos cookies para melhorar a experiência do utilizador, fornecer funcionalidades de redes sociais, personalizar conteúdos, anúncios e analisar o tráfego no site. Consente? Pode alterar as suas definições de cookies em qualquer altura.

PUB
Categories: Portugal
| Em
09/12/2019 10:17

Homem encontrado em descampado morreu no mesmo dia em que chegou a Portugal

“Ele disse-me que ia ao mercado. Mandou-me fotos da cidade e depois nunca mais soube dele”. A revelação exclusiva é feita ao CM por Rose Oura, este sábado, dia em que soube da morte do marido, Renê Oura, de 46 anos. Tinha chegado a Portugal na passada quarta-feira e desapareceu no próprio dia.

PUB

O corpo foi encontrado, este sábado de manhã, num descampado perto da rotunda de Francos, no Porto. A vítima tinha a cara desfigurada. Existem suspeitas de crime e a Polícia Judiciária investiga o caso.

“Ele tinha o sonho de ir viver para Portugal. Ia tirar um curso no ISMAI e queria arranjar trabalho. Daqui a cinco meses, eu e os meus filhos íamos viajar para Portugal para nos juntarmos”, conta a mulher da vítima.

O CM sabe que Renê estava instalado num hostel, no centro da cidade. Após fazer o check-in, saiu e nunca mais voltou. As últimas fotos enviadas à mulher foram tiradas na zona da Baixa, mas o corpo do homem foi encontrado numa zona de vegetação por um toxicodependente, a dois quilómetros daquela zona.

A PSP foi ao local e encontrou o corpo “prostrado no chão com a cara desfigurada”. Suspeitando de crime, acabou por chamar a Judiciária. O corpo foi levado, para ser autopsiado.

A viver na cidade de Jaú, em São Paulo, no Brasil, Renê Oura trabalhou num hospital e na área do telemarketing. Deixa três filhos. Na altura, o desaparecimento foi bastante partilhado em grupos nas redes sociais. “Estou arrasada. O fim do sonho”, lamenta a mulher.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã
PUB
Partilhar
Mais informação sobre: Mortes
PUB
Comente. Dê a sua opinião
PUB