Homem que matou a filha bebé assassinado na prisão

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Um homem que matou a filha recém-nascida por esta não parar de chorar, foi encontrado morto na cela da cadeia de Leeds, no Reino Unido.

O assassino foi morto por outro preso, John Westland, de 28 anos.

Segundo os media britânicos, Westland foi cercado por dois polícias e um membro da equipa da guarda do tribunal e, em seguida, foi levado para a audiência.

No tribunal, o arguido não falou sobre o crime, apenas confirmou os seus dados pessoais ao juiz.

Uma nova sessão está marcada para quinta-feira, e terá lugar no tribunal de Leeds. Liam Deane, de 22 anos, foi preso há cerca de um mês, depois de ter admitido ser o culpado da morte da filha Luna, de apenas dois dias.

O homem deu um murro na cara da recém-nascida porque a menina não parava de chorar.

A mãe de Luna, Karen Bissett, de 21 anos, deixou a filha com o pai, para conseguir dormir durante umas horas.

No dia seguinte, Deane disse à mulher que a bebé tinha caído, mas quando confrontado pela polícia, não conseguiu mentir e confessou o crime.

De acordo com o procurador Michael Smith, os ferimentos do bebé eram bastante graves e estavam espalhados pelo cérebro, cara e corpo.

“Ele disse que era responsável por todos os ferimentos que ela tinha e contou que Luna não parava de chorar e ele perdeu o controlo”, afirmou Smith.

A recém-nascida foi levada para o hospital de Leeds e morreu três dias depois. Segundo os médicos, Luna teve um traumatismo craniano, que a deixou com “lesões cerebrais catastróficas”.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?