in

Incêndios: EDP Distribuição investe 16 ME na gestão da vegetação até ao final do ano

Lisboa, 15 jun 2020 (Lusa) – A EDP Distribuição vai investir 16 milhões de euros até ao final do ano em ações de inspeção e de intervenção nas zonas de proteção e nas faixas de gestão de combustível junto às linhas elétricas, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado, a operadora da rede de distribuição de eletricidade explica que o investimento na gestão da vegetação representa “um aumento de 26% face a 2019, justificado com o incremento do número de Planos Municipais de Defesa de Floresta Contra Incêndios aprovados e revistos, a par do aumento do custo da globalidade das tarefas relacionadas com a vegetação”.

Em causa estão ações de inspeção e de intervenção nas zonas de proteção e nas faixas de gestão de combustível junto às linhas de eletricidade, com o intuito de garantir a melhoria da qualidade de serviço e a segurança das redes elétricas.

A EDP Distribuição opera uma rede aérea de transporte de eletricidade com 179 mil quilómetros de extensão, dos quais 28 mil estão instalados em espaços florestais.

Estas infraestruturas que compõem as redes elétricas de serviço público têm utilidade pública e integram-se nas concessões atribuídas à EDP Distribuição, adianta a empresa, que, refere, “tem o dever de realizar a manutenção e garantir a conservação das linhas elétricas, com base numa inspeção regular e metódica, adequada à monitorização do cumprimento das distâncias de segurança, no âmbito da zona de proteção”.

“Deste modo, sempre que se registam situações de incumprimento das distâncias de segurança das linhas elétricas face à vegetação, há o dever de alertar, de modo a garantir uma atuação célere dos proprietários, autarquias, empresas de infraestruturas, proteção civil e da própria EDP Distribuição, em caso de perigo iminente, para reposição das condições da segurança de pessoas e bens”, lê-se no comunicado.

Neste contexto, a empresa desenvolveu uma funcionalidade na sua app e site (edpdistribuicao.pt), que permite, de forma muito intuitiva, que qualquer cidadão reporte uma situação de proximidade de vegetação às linhas elétricas.

“Na legislação de defesa da floresta contra incêndios é entendido que o corte e desrame de árvores, bem como a limpeza e remoção da vegetação, permitem reduzir os efeitos da passagem de incêndios, protegendo de forma passiva a rede elétrica, e isolar potenciais focos de ignição”, refere.

Deixe uma resposta

Loading…

0

Presidente da República dá hoje aula em direto para o #EstudoEmCasa

Barco com 22 migrantes intercetado na praia de Vale do Lobo no Algarve