Infarmed alerta para a não utilização de pulseiras e pensos repelentes da Henan Hexin Hengda

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Segundo um comunicado que surge no site da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed), as pulseiras e pensos do fabricante chinês têm um certificado falsificado.

Na circular informativa que aparece no site, lê-se que “foi detetado, no mercado europeu, a existência de um certificado CE falsificado.

O certificado original emitido pelo organismo notificado TÜV Rheinland LGA Products GmbH (0197), para dispositivos médicos do fabricante Henan Hexin Hengda industrial Co., Ltd, foi manipulado e foram-lhe adicionados os produtos pulseiras e pensos repelentes de mosquitos. Esta informação foi confirmada pelo organismo notificado.

O Infarmed não identificou registos deste fabricante, mas, atendendo a que existe livre circulação de produtos no espaço económico europeu, recomenda que estes produtos não sejam adquiridos nem utilizados, uma vez que apresentam aposta marcação CE 0197 falsa.”

A Henan Hexin Hengda é uma empresa militar estatal, com sede em Zhengzhou, na China, que opera desde 2003. Tida como um dos maiores fabricantes de produtos na China, a empresa exporta para países como Estados Unidos, Canadá, Japão e Rússia e ainda para toda a União Europeia.

Com designers e programadores próprios, a Henan Hexin Hengda procura, acima de tudo, responder às exigências dos clientes, adaptando e transformando os seus produtos quando se revela necessário.

Apesar de não circularem em Portugal, os produtos do fabricante chinês podem ser adquiridos noutros países e online, em hnsunle.en.alibaba.com. Neste sentido, o Infarmed reforça, então, o alerta na sua utilização.

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?