Isabel dos Santos exonerada da Sonangol pelo Presidente de Angola

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O Presidente angolano, João Lourenço, exonerou hoje Isabel dos Santos, filha do anterior chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, do cargo de presidente do conselho de administração da Sonangol, nomeando para o seu lugar Carlos Saturnino, disse fonte oficial.

A informação foi confirmada à Lusa pela Casa Civil do Presidente da República, dando conta ainda da exoneração de Carlos Saturnino do cargo de secretário de Estado dos Petróleos, para ocupar a liderança da petrolífera estatal.

Há cerca de duas semanas, a Sonangol desmentira que Isabel dos Santos tivesse sido afastada da presidência. A notícia fora avançada citando um comunicado oficial da presidência angolana, que afinal era falso.

Isabel dos Santos foi nomeada para a presidência da petrolífera Sonangol pelo pai, então presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, em junho de 2016.

Em agosto de 2017, o Tribunal Constitucional angolano rejeitou um recurso apresentado por um grupo de 12 advogados nacionais que contestavam a nomeação de Isabel dos Santos para presidente da petrolífera, alegando violação da lei da Probidade Pública.

No recurso para o Tribunal Constitucional, estes advogados alegavam “violação de normas constitucionais”, nomeadamente o “princípio da igualdade”, segundo o qual “ninguém pode ser privilegiado pela sua ascendência ou descendência”.

Mudanças em Angola

Desde o início do mês de novembro de 2017 que a presidência angolana procedeu a várias alterações nos organismos do Estado.

Numa nota oficial do governo de Angola, com data do dia 1 de novembro, informava-se apenas que o Presidente da República João Lourenço exonerara o conselho de administração da Empresa de Ferro de Angola, a Ferrangol, dois vice-governadores do Banco de Angola, assim como quatro membros do Conselho de Administração, e o conselho de administração da ENDIAMA, a Empresa de Diamantes de Angola.

Este artigo foi publicado originalmente no Diário de Notícias

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?