in

Joaquim Sousa Martins em lágrimas ao revelar, em direto, que o pai morreu há 4 dias

Direitos Reservados

Quatro dias depois de o pai ter morrido, Joaquim Sousa Martins cumpriu o compromisso que assumira antes do trágico acontecimento e marcou presença na emissão desta terça-feira, 2 de junho, do programa Você na TV!. Natural de Trofa, o jornalista da TVI falava com Manuel Luís Goucha das gentes da sua terra quando revelou a triste notícia, detalhada na próxima edição da NOVA GENTE.

«O meu pai faleceu na sexta-feira e o funeral e velório do meu pai foram muito limitados, como é óbvio», devido à pandemia da COVID-19, começou por dizer Sousa Martins. «Infelizmente, porque eu gostava que o meu pai tivesse tido uma despedida mais romântica, mais apoteótica. Mas, pronto, é a vida. É o que é», sorriu, para depois acrescentar: «Foi incrível o carinho que as pessoas que as pessoas tiveram pela minha mãe. Incrível.»

A voz embargada indicava a emoção do editor de Desporto da Informação da TVI. As lágrimas chegaram mesmo a correr-lhe pelo rosto quando Goucha lhe perguntou «o que ficara do pai». «Desculpem… Pensei muito em vir aqui ou não vir», admitiu. O apresentador louvou a decisão: «Acho incrível como é que estás aqui quatro dias depois do falecimento do teu pai.»

«Sabes porquê?», retorquiu o jornalista. E respondeu: «Porque o meu pai sentir-se-ia orgulhoso de mim e não quereria que eu faltasse a este compromisso. Ele não queria! […] A força que tive para estar aqui, vir trabalhar e estar com os meus é a homenagem mais verdadeira, mais autêntica e de mais valor que eu posso dar ao meu pai.»

Os «dias de horror» e as palavras sentidas da mãe

Manuel Luís Goucha repetiu a pergunta que serviu de gatilho para a emoção de Joaquim Sousa Martins. «Ficam os valores e a forma como ele encarava a vida», respondeu, para depois falar da postura da mãe durante este período de luto: «Nestes dias de horror para ela, a minha mãe portou-se… A voz da minha mãe, que andava muito triste com a doença do meu pai, no dia em que ela foi para o lado do meu pai e nós aguardávamos a qualquer momento a fatalidade… Tu não queres saber a mudança de voz da minha mãe. Não imaginas! Era outra pessoa!»

O tom usado denotava um «sentimento de proteção e amparo». «Era do tipo: ‘eu sofro, mas vocês não vão sofrer’», especificou. «A lição do que é amor está patenteada na relação dos meus pais. Disse-lhe muitas vez: ‘Mãe, vem para Lisboa, passas connosco uns dias em Cascais, vais passear…’. Ela dizia-me: ‘Eu vou, eu vou’. Nunca veio. Há um dia em que tivemos mais uma conversa de conforto: ‘Ó mãe, por amor de Deus, vem’. O meu pai estava numa instituição. Ela disse a mim e à minha mulher: ‘Vocês não estão a perceber. O momento mais feliz do meu dia é quando vou ver o vosso pai. Não me podem tirar isso’», citou.

A emoção voltou a tomar conta de Sousa Martins quando foi surpreendido com uma mensagem em vídeo da sua mãe. «Meu filho, sempre foste um rapaz trabalhador, que amas muito o teu trabalho e nós sentimo-nos orgulhosos por isso. Continuas a ser o nosso filho amado, o nosso filho querido, o nosso filho saudoso. Para terminar, queria dizer-te uma coisa: o grande jeito da vida é pôr a vida com jeito. Um beijo, meu filho», disse Maria Luísa, deixando novamente o jornalista com os olhos marejados de lágrimas.

Este artigo foi publicado originalmente na Nova Gente

Deixe uma resposta

Loading…

0

Covid-19: Retoma “mais lenta” do turismo exige “apoios reforçados” ao setor – Siza Vieira

Covid-19: Lisboa e Vale do Tejo com 81% dos novos casos de infetados