in

Jornal espanhol El País reconhece incorreção depois de queixa do MNE português

O jornal espanhol El País reconheceu hoje o erro publicado na sexta-feira, depois de o Governo português ter exigido a correção urgente e pública do título “Portugal ordena o confinamento de três milhões de lisboetas”.

“Não é um confinamento tal e como se entende em Espanha e como publicou ontem [sexta-feira] este jornal”, afirma o correspondente do jornal espanhol em Lisboa hoje num artigo com o título “Calamidade, contingência e alerta, mas não confinamento”.

O jornalista conclui o texto a dizer que o confinamento como decorreu em Espanha “nunca existiu em Portugal, nem sequer durante o pico da pandemia, salvo para as pessoas que tenham dado positivo” no teste da covid-19.

A peça explica que, a partir de 01 de julho, Portugal vai ficar dividido em três zonas segundo a sua situação pandémica e em seguida desenvolve este tema.

Este artigo está no meio de uma reportagem sobre um “Passeio tranquilo por Santa Clara, a freguesia com mais restrições de Lisboa” que tem a “chamada” na primeira-página “Portugal: Passeio por uma Lisboa limitada, mas sem confinar”.

O Governo português tinha contestado na sexta-feira, como “totalmente falso”, um título do El Pais, segundo o qual Portugal teria ordenado o confinamento de três milhões de lisboetas, pedindo a sua correção urgente e pública.

O diário espanhol tinha na edição de sexta-feira uma chamada na primeira-página para um texto na página 22: “Portugal ordena o confinamento de três milhões de lisboetas”.

Em comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) afirmava que o referido título “é totalmente falso” e argumentava que, “pelo contrário”, a decisão do Conselho de Ministros determina que “a grande parte da Área Metropolitana de Lisboa (com a exceção de 19, das 118 freguesias) passou a uma nova fase de desconfinamento”, transitando “da ‘situação de calamidade’ para o ‘situação de contingência’.

“O Ministério dos Negócios Estrangeiros lamenta profundamente que um jornal com o prestígio e a responsabilidade do El País publique uma tal falsidade. E espera que possa fazer a correção devida com a urgência e a publicidade que essa falsidade exige”, lê-se no texto.

Deixe uma resposta

Loading…

0

Identificadas duas pessoas por comportamentos inadequados contra manifestação do Chega – PSP

Covid-19: Autoridades de Nova Deli assumem escassez de profissionais de saúde