Juiz deixa um dos alegados terroristas em liberdade. Dois ficam em preventiva

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O juiz da Audiência Nacional Fernando Andreu decretou esta terça-feira a prisão preventiva para dois dos quatro detidos acusados de implicação nos atentados de Barcelona e Cambrils, tendo deixado em liberdade um terceiro e mantido para interrogatório o quarto.

A prisão preventiva sem direito a fiança foi decretada para Driss Oukabir e Mohamed Houli Chemlal. Já Mohamed Aallaa pôde sair em liberdade condicional e Salah El Karib ficará pelo menos mais 72 horas detidos para mais interrogatórios.

Mohamed Aallaa tinha sido identificado como sendo o proprietário do Audi A3 onde seguiam os suspeitos em Cambrils. Ele nega esse facto e o juiz considerou não existirem provas suficientemente fortes que o comprovem.

Segundo os media espanhóis, o suspeito terá afirmado ao juiz que o seu nome constava nos documentos do carro apenas por questões de seguro, e que quem habitualmente utilizava o automóvel era um dos seus irmãos.

Os dois irmãos de Aallaa são também implicados nos ataques, tendo um sido abatido pela polícia e o outro estando oficialmente desaparecido, mas podendo ser um dos mortos ainda por identificar na explosão de Alcanar.

O Ministério Público pedia a prisão preventiva para os quatro suspeitos.

Este artigo foi publicado originalmente no Diário de Notícias

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?