Líder de seita viola crianças e pede pena máxima para si próprio

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Em causa estão dezenas de crimes de abuso sexual e pornografia de menores. Rui Pedro era o líder da seita ‘Verdade Celestial’ que estava instalada em Brejos do Assa, em Palmela.

Ao todo, oito crianças, com idades compreendidas entre os seis e os quinze anos, foram sujeitas a várias práticas sexuais.

Esta segunda-feira no tribunal de Setúbal, durante as alegações finais, o arguido, de 34 anos, pediu a pena máxima, ou seja, 25 anos de prisão, pelos crimes que ele próprio cometeu.

Pediu mais do que o Ministério Público, que apontou os 23 anos de cadeia como sendo uma pena justa.

A leitura do acórdão está marcada para o dia 12 de dezembro. Rui Pedro afirmava que era o ‘mestre’ e sob este pretexto dizia aos pais das crianças que elas tinham de passar a noite consigo na quinta para serem ‘curadas’.

Era nessa altura que eram sujeitas às violações.

Os abusos eram gravados e os vídeos vendidos a outros pedófilos na internet.

Durante o julgamento, apenas falaram dois dos oito arguidos que apontaram o dedo ao cabecilha da rede, que chegou mesmo a abusar sexualmente de um dos filhos e a enviar fotos do menino nu a outros violadores.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?