in

Linha de Leixões de transporte de mercadorias cortada devido a derrocada

Adobe Stock

A Linha de Leixões, utilizada para o transporte de mercadorias, está cortada desde as 11:43 devido à derrocada de um talude, adiantou hoje à Lusa fonte do Comando de Operações e Socorro (CDOS) do Porto.

Segundo a fonte, o desmoronamento aconteceu junto à Rua da Restauração, em Rio Tinto, Gondomar, distrito do Porto.

Este incidente não causou feridos, sublinhou fonte do CDOS, adiantando estarem as autoridades no local a remover a terra da linha férrea.

No local estão a Infraestruturas de Portugal (IP), os Bombeiros Voluntários da Areosa – Rio Tinto, PSP e serviço municipal de proteção civil, referiu o CDOS.

A Linha de Leixões liga a Linha do Minho, na Estação de Contumil, ao Porto de Leixões, em Matosinhos.

Inaugurada em 1938, a Linha de Leixões fez serviço de passageiros até 1987 e entre maio de 2009 e janeiro de 2011.

Em janeiro, o secretário de Estado das Infraestruturas defendeu a necessidade de “uma avaliação muito rigorosa da transformação da Linha de Leixões para perceber a sua eficácia e procura” antes de ser posta ao serviço das pessoas.

Jorge Delgado falava à Lusa no final de uma viagem do Comboio Operário, reativado a 04 de janeiro, entre a estação de Contumil e as oficinas da CP em Guifões, no concelho de Matosinhos.

Em novembro de 2020, a IP lançou um segundo concurso público para a estabilização de taludes na Linha de Leixões e Concordância de Gemil, em Matosinhos e no Porto, com um valor base de 4,5 milhões de euros.

Em 19 de agosto de 2019, a IP anunciou o lançamento de um primeiro concurso para a mesma empreitada, com um valor base de 3,2 milhões de euros, mas que não teve seguimento.

Deixe uma resposta

Loading…

0

Morreu o escultor italiano Arturo Di Modica que esculpiu o Touro de Wall Street

Reunião com especialistas 2.ª feira antes de renovação do estado de emergência