Luís Sanchez lembra o companheiro: “Naquele dia que o João decidiu partir, metade de mim partiu com ele…”

“Eu recebi uma mensagem dele em que ele dizia “amo-te” (…), poucos minutos depois eu recebo um telefonema…”, revelou.

0 1.221

João Branco, da dupla Storytailors, decidiu por fim à vida no passado dia 17 de Dezembro, atirando-se de um 10º andar de um prédio.

Ora, Luís Sanchez, estilista que fazia parte do projeto, e também seu companheiro de vida, esteve esta sexta-feira, 05 de abril, n’O Programa da Cristina e recordou-o com emoção:

“Naquele dia que o João decidiu partir, metade de mim partiu com ele”, começou por dizer na reportagem. “Durante aquele dia, nós estivemos a trabalhar, estivemos a falar das viagens que íamos fazer, ou seja, nada fazia prever o desfecho que acabou por ter”, referiu depois.

O designer de moda lembrou então o dia em que o companheiro decidiu suicidar-se: “O João recebe uma chamada da mãe, se nós queríamos comida para o jantar, (…) e ele saiu. Eu já estava a estranhar ele estar a demorar, (…) e eu recebi uma mensagem dele em que ele dizia “amo-te” (…) poucos minutos depois, eu recebo um telefonema do telemóvel da mãe do João, mas quem estava a ligar era o tio, a dizer-me: «Olhe Luís, eu tenho uma notícia para lhe dar e não tenho outra forma de lhe dizer mas o Miguel suicidou-se»”, revelou.

Luís salientou que, na altura que recebeu a trágica notícia, entrou em negação e nem se quer queria ver o corpo do companheiro, a verdade é que acabou por fazê-lo:

“(…) É a pior sensação do mundo. Naquele momento eu percebi que o homem que eu amava tinha desaparecido para sempre. Foi, sem dúvida, o pior dia da minha vida. O que ficou por dizer, por fazer… Não há resposta para isso”, partilhou, emocionado.

Já à conversa com Cristina Ferreira, em estúdio, Luís Sanchez revelou ter “o coração despedaçado”, admitindo que, tal como disse, nada faria prever este desfecho:

“(…) Nada fazia prever isto. É muito difícil compreender, só conseguimos aceitar. Porque se tentamos compreender, começamos sempre a divagar e isso não é um processo bom, não o vai trazer de volta (…) Nunca saberemos. Fica a dor. Todos os dias choro. Choro ao acordar, choro ao deitar-me, inclusive construí um pequeno altar com as fotos dele, com as nossas, onde falo com ele sobre as conquistas do dia, sobre as ajudas que preciso porque, de facto, é duro ficar-se assim, só, de repente”, disse.

Sobre a forma como João Branco decidiu por fim à vida, Luís Sanchez afirmou:

“(…) Alguma coisa o afligia ou o perturbou de tal forma que o levou a tomar essa decisão e é estranho porque ele tinha vertigens, medo das alturas. É quase como confrontar o medo. Ele tinha realmente pavor (…) É um ato de coragem, escolher-se partir e principalmente de uma forma tão violenta”.

O estilista contou depois como foi ter visto o corpo do companheiro, revelando que o viu, no entanto não se aproximou:

(…) Eu não queria ver o corpo. Seria traumático e não era a imagem que eu queria guardar e pensei: «O que está ali é apenas um corpo, o João já está noutro sítio, na eternidade, no Universo». Olhei, mas não me aproximei”, frisou.

Luís partilhou que ainda esteve “um mês e meio” até voltar ao projeto Storytailors, mas acabou por ter força e regressar ao atelier:

“Eu sinto que ele vai estar sempre presente porque uma das estratégias que eu desenhei para a marca é pegar em peças icónicas de todas as nossas coleções e conseguir continuá-las”, referiu, admitindo depois:

“Existe sempre esta mágoa, esta dor, mas na realidade, no meu trabalho na Storytailors, o João está presente em tudo e eu encontrá-lo em tantos momentos, claro que me emociona. E quando tenho que chorar, choro”, adiantou.

Vê aqui a entrevista na íntegra:

Outros conteúdos na web

Comente, dê a sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Recomendados